Dra. Gabriela Carvalho Sodré esclarece sobre Emergência e Urgência

Entrevista para a Coluna OLHO CLÍNICO.

Entrevista para a Coluna OLHO CLÍNICO com a dinâmica Médica Clínica Geral Gabriela Carvalho Sodré, Estratégia de Saúde da Família- Centro de Saúde Dr.Toda e médica plantonista do Hospital Padre Colombo e mãe da pequena Isabella de dois anos e onze meses: Esclarecimentos sobre emergência e urgência e dicas de como evitar doenças prevalentes que lotam os hospitais nesse período do ano.

Concy Pitt: OC- Doutora Gabriela, vemos frequentes discussões nas recepções dos hospitais sobre atendimento emergencial. Defina emergência e urgência.

Dra.Gabriela- Bem Concy, emergência é tudo aquilo que pode ocasionar uma morte imediata,  ou lesões de órgãos importantes no nosso corpo, como os rins, coração e cérebro. São lesões que podem matar de forma rápida,  isso são emergências,  situações que não podem esperar,  e demandam um atendimento imediato.  Existem também as urgências,  elas também devem ter um pronto atendimento,  porém,  elas não vão matar dentro de minutos como as emergências.  Elas demandam de atendimento imediato de até duas horas,  as emergências não,  essas são de até dez minutos.

(Foto:Internet)

OC- O que é um atendimento prioritário nas emergências?

Dra.Gabriela- São por exemplo,  aquelas dores de cabeça associadas a muitos vômitos,  a diarréias,  a situações agudas, elas são consideradas muito importantes nos hospitais,  não pelos vômitos e diarréias em si,  mas pela desidratação. A desidratação mata, e mata muita gente, sem a gente perceber. O paciente vai rebaixando, rebaixando,  o corpo começa a não responder mais se a gente não der o tratamento logo, pois a desidratação é a maior causa de mortes em crianças de até cinco anos. Então,  diante de pacientes,  crianças ou adultos,  vomitando bastante,  é importante e necessário vir até o hospital se hidratar.

 

OC- Quais são as doenças pediátricas mais comuns nas emergências?

Dra.Gabriela- Então, os vômitos associados  às diarréias,  as intoxicações alimentares, elas exigem muita atenção,  principalmente quando vêm acompanhadas de febre, caracterizada por uma febre acima de 37.8°, quando vem associada a uma diarréia com muco e/ou com sangue,  a mesma coisa em relação aos vômitos,  se o vômito vier acompanhado de sangue,  ai é caso de atenção imediata e redobrada.

 

OC- A gente observa o grande número de pacientes internados,  de ambos os sexos,  adultos e crianças com o diagnóstico de infecções urinárias.  Como evitar essas infecções?

Dra.Gabriela- A maior causa de infecção urinária nas crianças é porque em determinada fase elas começam a prender xixi, porque não querem parar de brincar para irem ao banheiro. A gente sabe que prender xixi é uma das causas de infecção urinária,  ou quando é ainda bebezinho e usa fralda, a gente pode pensar que porque o dia foi bastante corrido, e a mãezinha não limpou bem, limpou a vagina e o pênis do bebê com o lencinho sujo de cocô.

 

OC- Doutora, fale sobre as doenças respiratórias, bastante frequentes também nas emergências.

(Foto:Internet)

Dra.Gabriela- As doenças respiratórias são também muito importantes, porque o paciente pode rebaixar rapidamente.  Então, se o paciente está cansado, se está usando os músculos da barriga,  indo e voltando,  e se o peito aparentar cansado, se os olhos ficarem fundos,  também é uma situação de emergência tanto em adultos como em crianças. O atendimento tem que ser rápido.

 

OC- Vemos muitos casos de uso indevido de antibióticos,  qualquer virose lá estão pessoas se auto medicando com eles. Esclareça quando devemos utilizar.

Dra.Gabriela- Essa pergunta é muito importante,  realmente não é qualquer doença que precisa de antibióticos, cabe ao medico prescrever o sei uso, após uma atenta avaliação da situação e o porquê daquele antibiótico, porque tem vários tipos, então,  a gente vai escolher de acordo com a bactéria que provavelmente vai estar naquele foco.  Primeiro você tem que achar o foco, e a partir daí vamos escolher o adequado. Papais e mamães, evitem, principalmente nesse período de mudanças climáticas, seus pequenos à chuva, o problema não é nem tanto a chuva, o problema é deixá los molhados.

Quanto à sua pergunta de uso de antibióticos nas viroses, não é certo, não se trata vírus com antibióticos, o vírus a gente precisa esperar que o corpo adquira uma imunidade para aquele vírus, já o antibiótico não, para seu uso,  a gente precisa entender o que é um quadro bacteriano, seja por uma febre acima de 3 dias. Os antialérgicos também são grandes aliados no tratamento da tosse,  seja ela seca ou com catarro, porque diminui a frequência da tosse, assim como as coceiras de pele. Precisamos ficar atentos às crianças,  aos nossos idosinhos e conosco mesmo.

 

OC- Só para fecharmos a entrevista, vamos voltar a falar sobre as infecções urinárias, as campeãs das emergências, como preveni-las?

Dra.Gabriela- Em relação às meninas que aparecem com frequência nas emergências, preocupadas com testes de gravidez, acompanham as infecções urinárias que precisam beber muita água, nós moramos em um lugar muito quente, então precisamos tomar muita água, é uma das principais formas de prevenção de infecção urinária,  além da boa higienização das genitálias, tá bom?

Eu espero ter podido auxiliar um pouco, estou muito feliz de ter contribuído com essa entrevista. Quero dizer também que estou a disposição, muito obrigada e parabéns ao site do O Jornal da Ilha, adorei, em particular a Coluna “Olho Clínico.” Parabéns.

 

Concy Rodriguez

Colunista JI

você pode gostar também