A ALEGRIA DE SERVIR

Se eu encontrasse uma pessoa que dissesse: “Nunca tive um momento de felicidade na vida”, eu lhe diria tranquila:

Alguém é inclinar-se para ajudar outro alguém. Mas esse tipo de atenção deve ultrapassar o mero sentimento profissional.

Ajudar alguém, no sentido mais profundo, é descer até ele para fazê-lo crescer, para torná-lo mais gente.

Sempre que nos inclinamos, sempre que buscamos ajudar nosso próximo, em qualquer situação da vida, repetimos o gesto do bom Samaritano de que fala o Evangelho. A mais profunda realização humana é a alegria de servir desinteressadamente.

E tem mais: até um copo de água ou um pedaço de pão doado na generosidade, terá sua recompensa eterna.

Passar pela vida distribuindo alegria, confortando os que sofrem, estendendo a mão aos necessitados é outro segredo para sermos felizes. Faça a experiência e tenha certeza de que não se arrependerá. Servir é bom. Servir é confortante. Servir é gratificante. Por que a mais profunda alegria é a alegria de servir. O gesto mais nobre do coração humano, o gesto mais digno de alguém, é inclinar-se para ajudar outro alguém.

 

 Irmã Maria Helena Teixeira

Colaboradora JI

 

Foto: Ilustração/Internet