Gov-03

A alfabetização funcional é a realidade do brasileiro

Segundo a pesquisa, 96% dos alunos que ingressaram ou concluíram o ensino superior foram considerados funcionalmente alfabetizados.

Por Maria do Carmo*

 

 

A cada dez brasileiros três são considerados analfabetos funcionais segundo o IBGE somos 213.464.499 milhões de brasileiros e apenas 12% da população está no nível “proficiente”, o mais alto da escala.

O analfabetismo funcional é a incapacidade ou dificuldade de compreender e interpretar textos simples, ou fazer cálculos básicos. O Indicador de Alfabetismo Funcional (Inaf), que avalia o nível de analfabetismo da população brasileira entre 15 e 64 anos, trouxe dados alarmantes. Segundo a pesquisa mais recente, de 2018, 96% dos alunos que ingressaram ou concluíram o ensino superior foram considerados funcionalmente alfabetizados. Porém, apenas 34% destes estudantes alcançaram o nível máximo de proficiência, sendo que 38% não dominam habilidades básicas de leitura e escrita.

O sistema de ensino básico precisa se reinventar e começar a colocar em prática a metodologia ativa onde os alunos são incentivados a inovar, liderar projetos, criar soluções e lidar com outras pessoas, eles são reconhecidos tanto por seus resultados conquistados quanto pelo esforço que empregam nesse percurso.

Outro dado relevante é da ONG Ação Educação e do Instituto Paulo Montenegro analisam desde 2001, o Indicador de Analfabetismo Funcional (Inaf), revelou os níveis de alfabetismo da população brasileira de 15 a 64 anos, segundo a pesquisa, apesar da democratização do ensino nos últimos anos, os dados mostram que em 2018, 4% dos estudantes que ingressaram no ensino superior eram considerados analfabetos funcionais. Inclusive a Fametro tem um programa chamado nivelamento para esses alunos especiais e ensina língua portuguesa e matemática básica.

 

Para finalizar, infelizmente o analfabetismo funcional dificulta na opinião crítica é por falta de politicas públicas ligadas ao ensino básico e médio entre os problemas enfrentados pelo Brasil, está o abandono escolar, agora intensificado pela pandemia da covid-19. O IBGE revelou em 2019, dos 50 milhões de brasileiros entre 14 e 29 anos de idade, 20%, ou seja, 10,1 milhões, não completaram alguma das etapas do ensino fundamental ou médio. Sem conhecimento não existe uma opinião crítica embasada.

A educação transforma uma sociedade, precisamos investir na educação!

 

*Reitora do Centro Universitário Fametro, empresária, advogada e doutorando em Direito pela PUC/Campinas

Fonte: D24am. Leia mais em https://d24am.com/artigos/maria-do-carmo-seffair/a-alfabetizacao-funcional-e-a-realidade-do-brasileiro/

Republicado por Carlos Frazão/JI

você pode gostar também