A HISTÓRIA DE UM GRANDE MÚSICO FRIBURGUENSE

 MESTRE GENUÍNO ALCÂNTARA

Na noite de 4 de dezembro de 1944 nascia Genuíno Alcântara, caçula de dez irmãos, filho de Dinaíza da Conceição e Floriano Alcântara, que sem a presença do pai, começou a trabalhar cedo como ajudante em uma fazenda na cidade de Nova Friburgo, onde nasceu e foi criado. Na infância desenvolveu o dom para música, através de um violãozinho feito de bambu.

Ainda jovem, conheceu Izabel Milhoranse por quem se apaixonou perdidamente. Entretanto, apesar dos diversos obstáculos no caminho desse amor, o sentimento prevaleceu e o menino negro conseguiu se casar com a filha dos italianos.

Aos vinte e cinco anos, recém contratado pela Fábrica de Ferragem Haga, veio a sofrer um acidente de trabalho que quase destruiu um grande sonho, ao perder uma falange do dedo da mão direita e por ter sido desenganado pelos médicos que afirmavam que ele jamais iria voltar a tocar violão. Diante disso, contra todas as probabilidades, ele se recuperou e começou a dar seus primeiros passos na carreira musical. Depois de todo esse sofrimento, uma alegria, sua esposa deu a luz a sua primeira filha, Márcia, o incentivo que ele precisava para não desistir.

Com a família crescendo o jovem trabalhador começou a construir sua primeira casa, aonde viria a criar todos os seus filhos. Além disso, aperfeiçoou suas habilidades musicais ao conhecer o “Maestro Hélio Velozo” com quem estudou teoria durante seis anos. Paralelamente a tudo isso, nascia o seu segundo filho, Leandro, que veio para completar ainda mais a sua felicidade.

Com o passar do tempo ficou conhecido na cidade de Nova Friburgo ao expor seus sentimentos através da canção “Liberdade”, uma composição autoral.

No ano de 1978, foi habilitado como profissional pela Ordem dos Músicos do Brasil e passou a lecionar livremente. Um ano e sete meses depois, para coroar esse grande momento em sua vida, nasceu sua filha caçula, Rafaella.

Nessa época passou a viver de música lecionando em vários lugares tais como: Sindicato dos Metalúrgicos, Clube de Xadrez, Sociedade Esportiva Friburguense, Sindicato dos Têxteis e Clube dos 50, passando a ser considerado “o melhor professor de música da cidade”.

Aos quarenta e seis anos perdeu sua esposa vítima de um tumor cerebral, sem esperança e sem o grande amor de sua vida, se viu obrigado a abrir mão de sua dor para terminar de criar seu três filhos. Nesse período, recebeu uma proposta para viver de música em Miami, aonde iria trabalhar como músico em um hotel de renome. Apesar de saber que essa seria a grande oportunidade de sua vida, preferiu abdicar-se em prol de sua família.

Atualmente aos setenta e três anos, o avô orgulhoso de sete netos leva uma vida tranqüila e feliz sabendo que cada dificuldade serviu para construir uma gloriosa história de luta e superação. O eterno apaixonado pela arte musical sente-se realizado com a certeza de que o dom que nasceu com ele não vai morrer, mas, vai perpetuar com seus filhos e dois netos, também músicos, e por todos os alunos que ouviram e praticaram os seus ensinamentos.

 

ENCONTRO DE VIOLÕES

 

Anualmente, há encontros de violões entre os ex-alunos e o mestre Genuíno.  Esses encontros ficam gravados e posteriormente disponibilizados para recordação do grupo. Realizamos o 3º Encontro de Violões no dia 31 de março de 2018.

Participaram do encontro: Mestre Genuíno, os Ex-alunos: Márcio, Rodrigo, Ronald Brother, Vânia e Jéferson Batera.

 

Wanderléia Prie Neto/RJ