Campanha Caburi

A Minha Boneca de Água Sanitária

Esta historia da minha vida, me trouxe muitos ensinamentos, coisas que até hoje carrego comigo…

 

Carlos Frazão me pediu para fazer uma mensagem de final de ano para Parintins.

Então, resolvi contar uma historinha da minha infância para vocês.

Pertenço a uma família de três irmãs e um irmão. Meu pai era um marítimo que viajava a maior parte do ano e minha mãe uma dona de casa que costurava “para fora” como ela dizia, porque fazia roupas e com isso ajudava no sustento da família.

Meus pais sempre trabalhadores tinham três grandes preocupações com nossa criação: A educação;  Que nunca passássemos fome e Que frequentássemos a igreja. Éramos uma família feliz e unida. Nunca passamos fome graças a Deus e ao trabalho dos meus pais e tios que ajudavam em nossa criação, mas, no entanto, não tínhamos muitas coisas que crianças desejam ter, entre elas, presentes de natal.

Minha mãe sempre foi uma mulher muito forte e sábia. E soube transmitir muitos valores para nós, entre eles que deveríamos ser felizes com o que tínhamos, e aprendêssemos a agradecer até o que não conseguíamos ter. Eu sempre entendi a luta de minha família e valorizava tudo o que eles conseguiam nos dar, principalmente educação e comida. Em um certo natal, onde eu tinha por volta de 7 anos, não tínhamos nem ceia, muito menos brinquedos. Dormi sem esperar o Papai Noel era uma realidade que precisava enfrentar sem lamentar. No dia seguinte, 25 de dezembro minhas amigas mais próximas estavam radiantes com suas bonecas novas e vieram me chamar para brincar, (a imagem daquelas bonecas é viva em minha memoria  34 anos depois) e eu não tinha boneca. Então resolvi fazer uma e o objeto mais próximo que encontrei do tamanho das bonecas de minhas amigas era uma garrafa de agua sanitária da marca K-boa. Então, eu enrolei a garrafa verde de K-BOA em uma fralda de pano velho e fui brincar com minhas amigas na Praça Tukasa, que ficava perto da minha casa.

Eu confesso que esperava que minhas amigas rissem de mim, mas, eu estava disposta a encarar aquilo de cabeça erguida. Mas, para minha surpresa, delas eu só tive um olhar de surpresa e nada mais… Elas gostavam de mim e não do que eu tinha. Somos amigas até os dias de hoje, pessoas  que eu guardei no coração para sempre.

Esta historia da minha vida, me trouxe muitos ensinamentos, coisas que até hoje carrego comigo. Entre eles, que não importa o quão às coisas não saem do jeito que você deseja, você nunca deve deixar de agradecer a Deus por estar bem, por ter pessoas importantes e que te amam a teu lado. Você nunca deve deixar de acreditar que amanhã pode ser melhor e que você tem que lutar pelo futuro que você quer ter.

A mensagem que deixo com vocês é: Não deixe de lutar pelo que você quer se isto não vai prejudicar alguém. Deseje, batalhe pelos seus sonhos e o mundo vai conspirar a seu favor. Acredite!!!!!

Eu acredito!!!

Feliz 2017.

 

 

Marcia Nogueira

Colunista JI

Foto: Divulgação

você pode gostar também