Alcione, também, canta Caprichoso

O presidente Baba Tupinambá com a cantora Alcione

O Boi-Bumbá Caprichoso foi buscar nas raízes que tecem a Sabedoria Popular do povo brasileiro inúmeras referências para endossar o discurso do espetáculo 2018 “Sabedoria Popular: Uma revolução Ancestral”. Do Pará, em Santarém, o cordão Folclórico do Carimbó, de Juruti as tribos Munduruku e Muirapinima, da calha do Rio Negro em Barcelos os peixes Cardinal e Acará Disco. Assim como folguedos de Nhamundá, Maués e outros municípios.

O Boi-Bumbá Caprichoso foi beber da fonte ancestral do auto do boi-bumbá. E nela na Ilha de São Luiz do Maranhão encontrou a bela voz de Alcione, referendada simbolicamente pela cor marrom. A cantora conhecida também por entoar obras do poeta parintinense Chico da Silva, como “Sufoco” e outras, tem berço artístico na brincadeira do bumba-meu-boi.

Sua voz e sua obra são celebradas no samba de raiz e por sua vez de raízes negras como defende na toada “Boi de Negro” dos compositores Moisés Colares, Raurison Nascimento, Franke Azevedo e Ricardo Linhares.

Hoje o Boi Caprichoso sente-se honrado com a participação dessa renomada interprete no seu álbum musical 2018. A toada do Boi Caprichoso também fará parte do show de Alcione, que comemora seus 45 anos de carreira.

 

Assessoria de Imprensa Boi Caprichoso

você pode gostar também