Aleam reconhece a importância dos 90 anos da imigração japonesa na Amazônia Ocidental

Os eventos começaram no último domingo, 15, e se estendem até este fim de semana em Manaus.

De autoria do deputado Saullo Vianna (PPS), o evento contou com a presença de diversas autoridades, dentre elas, a cônsul-geral do Japão em Manaus, Hitochi Sekiguchi e o secretário de Cultura, Marcos Apolo.

 

Em comemoração aos 90 anos da imigração japonesa na Amazônia Ocidental, a  Assembleia Legislativa do Amazonas realizou nesta terça-feira, 17, Sessão Especial em homenagem à contribuição  da comunidade nipônica na região.

A solenidade, que aconteceu no Plenário Ruy Araújo da Aleam, deu continuidade à programação de comemoração aos 90 anos da chegada dos primeiros Koutakuseis nos estados do Amazonas, Acre, Rondônia e Roraima. Os eventos começaram no último domingo, 15, e se estendem até este fim de semana em Manaus.

Para o autor da propositura, deputado Saullo Vianna, o legado que a vinda da comunidade japonesa trouxe para a Amazônia Ocidental, em especial, ao Amazonas e Parintins, é parte da história e merece ser reverenciado.

“A colônia japonesa tem uma influência muito forte no meu município, que é Parintins, e a relação do parintinense com as tradições japonesas está na nossa história. Essa homenagem é uma forma de agradecer por toda contribuição ao desenvolvimento do nosso Estado, principalmente, ao município de Parintins”, disse.

Os primeiros imigrantes japoneses começaram a chegar na Amazônia Ocidental, em 1929, no município de Maués. No ano de 1931, um novo grupo chegou em Parintins, mais precisamente na comunidade de Vila Amazônia. Em seu discurso de agradecimento, a cônsul-geral do Japão no Amazonas, Hitochi Sekiguchi, lembrou do desafio dos primeiros grupos que saíram do país com a missão de cultivar nas terras amazônicas com tecnologia e profissionalismo.

“Eram jovens entre 18 e 20 anos, que depois de formados na Escola Superior de Imigração, vieram para uma região completamente desconhecida tendo que se adaptar ao clima diferente, doenças tropicais, além de dificuldades com a língua e a alimentação. Foram bravos guerreiros que com muito suor e sangue iniciaram nossa relação de harmonia com o Brasil”, lembrou emocionada.

A cônsul-geral e o presidente da Associação Nipo-Brasileira da Amazônia Ocidental, Ken Nishikido receberam placas de condecoração do deputado Saullo Vianna.

O Coral Vozes do Coração, da Escola Djalma da Cunha Batista, interpretou o Hino do Japão e uma canção regional e outra em japonês.

 

Compromissos

 

Saullo Vianna, que também é  presidente da Comissão de Promoção Social e Cultural da Aleam, enumerou os compromissos firmados entre Governo do Amazonas em favor da inclusão e da educação. Um deles, é a parceria entre a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e Fundação Japão, que vai garantir a continuidade das atividades pedagógicas desenvolvidas na Escola Estadual de Tempo Integral Bilíngue Professor Djalma da Cunha Batista, a primeira na rede estadual bilíngue português-japonês do Brasil.

O deputado adiantou que, vai apresentar indicativo ao Governo do Estado, para que a Escola de Tempo Integral de Parintins seja adaptada para ser bilíngue em português-japonês nos mesmos moldes da Escola Estadual Djalma da Cunha Batista, em Manaus.

Atualmente, a instituição atende a 920 alunos da 6a. à 9a. série do Ensino Fundamental e possui três matérias de japonês: Língua Japonesa, Matemática em Língua Portuguesa e Ciências em Língua Portuguesa. Lá os alunos aprendem muito mais que ensinamentos de uma segunda língua, eles têm acesso aos valores morais, éticos e organizacionais da cultura japonesa.

Saullo também citou as ações de inclusão desenvolvidas pela Secretaria de Estado de Cultura (SEC) vão ganhar reforço com a entrega de materiais e benfeitorias recebidos do Governo do Japão, por meio do “Projeto de Aquisição de Equipamentos para Promover a Acessibilidade de Pessoas com Deficiência Visual e Auditiva no Estado do Amazonas”.

 

Assessoria de Imprensa Deputado Saullo Vianna

você pode gostar também