Gov-01

Após Leilão, Artista protesta na Cidade Garantido e diz “Não ao Festival”

A empresa médica Samel foi quem arrematou o patrimônio do boi da Baixa de São José.

O artista plástico Augusto Simões promoveu um ato de protesto contra o descaso de diretorias da Associação Folclórica que ao longo dos anos acumularam dívidas milionárias com trabalhadores da arte da entidade folclórica, o que gerou ações judiciais na Justiça do Trabalho.

Como consequência dos processos trabalhistas a Justiça do Trabalho leiloou o galpão e a área administrativa do boi Garantido na sexta-feira, 24 de julho. A empresa médica Samel foi quem arrematou o patrimônio do boi da Baixa de São José.

 

O protesto foi realizado na tarde desta sexta-feira, 24. O cercado em frente a cidade garantido, prédio em parte agora pertencente a empresa médica Samel, foi o local para a colocação das faixas. A manifestação também foi contra a realização do Festival Folclórico de Parintins em 2020.

O ato do artista plástico Augusto Simões teve como objetivo afixar faixas contra a realização do Festival Folclórico de Parintins deste ano em vários pontos da cidade.

“70% do povo de Parintins diz não ao Festival 2020”, “Prestação de contas aprovada… Leilão” e “Não pode ser considerado quem defendeu o boi contrário (candidato fake)”, foram as frases estampadas nas faixas, afixadas na Cidade Garantido, na Praça da Liberdade, Coreto Caracol do Porto e Catedral de Nossa Senhora do Carmo.

 

Texto e fotos: jornalista Marcondes Maciel/ Facebook

você pode gostar também