ATIRADORES QUE FEREM E MATAM GENTE A TIROS EM PARINTINS, VOLTAM ATACAR

Hélio Costa Silva, vítima de tiro – Foto: Divulgação

Um homem identificado por Hélio Costa da Silva, 32 anos, foi mais uma vítima dos atiradores da motocicleta que há um mês vem ferindo e matando pessoas a tiros em Parintins (distante 369 km de Manaus-AM), fato que vem aterrorizando moradores e visitantes da Ilha Tupinambarana. Pessoas suspeitas de envolvimento com tráfico de drogas e até crianças de 11 e 15 anos de idade, já foram vítimas dos atiradores.

Segundo um familiar de Hélio, ele foi alvejado com quatro tiros de arma de fogo na noite de ontem, quarta-feira (6), por volta de 22hs, quando seguia de bicicleta para sua residência na rua Benjamim Rondôn, bairro Palmares. Ao chegar na esquina da rua Urucará com rua Juruty, a vítima foi alvejada por tiros.

Ainda segundo o familiar, Hélio conta que dois homens, bem vestidos, fortes e que em uma motocicleta Broos preta com detalhes alaranjados, se aproximaram e um deles efetuou quatro disparos. Três tiros atingiram o braço esquerdo e um atingiu a costa (região lombar esquerda) da vítima. Hélio Silva foi conduzido ao hospital Jofre Cohen onde recebeu atendimento médico e em seguida transferido ao hospital Padre Colombo.

O familiar de Hélio Costa Silva revela que a vítima se encontra internado, e o quadro clínico do mesmo inspira cuidados. Ele é ex-interno da Unidade Prisional de Parintins (UPP), onde cumpriu 1 ano e 3 meses por tráfico de droga.

As ações dos atiradores começaram após a morte do sargento militar Fernando Antônio Pereira Júnior, 41 anos, assassinado brutalmente com uma facada desferida pelo presidiário Arleson de Souza Alfaia, 25 de idade, no dia 5 de dezembro.

Anilson Valente Barbosa, 35 anos de idade, foi a primeira vítima dos atiradores misteriosos. Anilson foi morto a tiros disparados por motoqueiros desconhecidos, às 22h40 do dia 5 de dezembro de 2015. Thiago da Costa Alfaia, de 30 anos de idade, foi a segunda vítima fatal dos atiradores, ele morreu na noite de 21 dezembro, 24 horas após ter sido baleado.

As outras vítimas que foram baleadas pelos motoqueiros conseguiram sobreviver aos ferimentos, entre as vítimas estão um menino de 11 anos e uma menina de 15 anos de idade.

 

Por Ataíde Tenório

E-mail: [email protected]

GazetaParintins.com.br

você pode gostar também