Gov-03

Bi Garcia afirma que está à disposição ao diálogo, mas reitera que a Prefeitura não deve nada ao Padre Colombo

O prefeito Bi Garcia, durante audiência pública na Câmara Municipal de Parintins nesta quinta-feira, 7 de outubro, reiterou que o município de Parintins está à disposição do Hospital Padre Colombo para caso promova a reabertura da unidade. O prefeito disse que sempre foi a favor do diálogo e buscou, todas as vezes que procurado, soluções para o funcionamento da unidade de saúde. Em seu discurso, Bi Garcia foi enfático em afirmar que o município não deve nada ao Hospital Padre Colombo.

O prefeito Bi Garcia lembrou que em 2019 e 2020, a direção do Hospital Padre Colombo recebeu valores a mais do que a contratualização, sendo  R$ 167 mil a mais em 2019, e em 2020 foram R$ 500 mil a mais. “Devolveram 500 mil a mais do ano passado? Não. Devolveram 167 mil de 2019? Não! E não é para devolver para a Prefeitura, para o Governo Federal ou Governo do Estado. É para devolver para a população, em serviços”, disse.

Bi Garcia enfatizou que os recursos são repassados em dia para o Hospital Padre Colombo, sem atraso, seguindo a sua determinação. Garcia repetiu que o aporte entre recursos financeiros, insumos, medicamentos e recursos humanos que Estado e Município repassam ao Hospital Padre Colombo somam mais de um R$ 1,5 milhão. Destes, são R$ 600 mil em recursos financeiros. O prefeito lamentou o comportamento de alguns membros da Diocese de Parintins que estão falando inverdades sobre a relação da Prefeitura e Hospital Padre Colombo.

Para ilustrar a atuação de parceria da Prefeitura com o hospital, lembrou que foi procurado pelo bispo Dom Giuliano para ceder funcionários para o Padre Colombo e apoiou implantando a neonatologia, inclusive fazendo retornar a Parintins o médico Tarcísio Laime que estava em Barreirinha.  Em outra ocasião que contou com a presença da então procuradora-geral do Amazonas, Dra Leda Mara Albuquerque, afirmou que mais uma vez apoiou o hospital Padre Colombo cedendo funcionários.

O gestor disse que, se a direção do Hospital Padre Colombo quiser reabrir o atendimento ao público, está à disposição de ajudar. “Sempre estivemos abertos ao diálogo. E todos os funcionários e médicos que a direção do hospital mandou devolver para a Prefeitura, eles podem retornar. São 52 funcionários e dez médicos pagos com recursos da Prefeitura de Parintins para atender em uma instituição que é prestadora de serviços. Então, sempre estivemos de portas abertas para junto à Diocese trabalhar para atender a população de Parintins”, pontuou.

 

SECOM

Fotos: Yuri Pinheiro

 

você pode gostar também