Campanha Caburi

Bispo de Parintins fala sobre Sínodo e diz que Doutrina matrimonial permanece a mesma

O Bispo de Parintins, Dom Giulliano Frigenni falou ao JI sobre o Sínodo dos Bispos sobre as famílias, que aconteceu de 04 a 25 de outubro, em Roma. Essa XIV edição teve o tema: “A vocação e a Missão da Família na Igreja e no mundo contemporâneo”. De acordo com o Bispo, discussões sobre situação de convivências, casamentos civis, divorciados e casados pela segunda vez, dar ou não dar a comunhão a else, foram os assuntos mais abordados durante a Assembleia Geral, mas afirma que a Doutrina do matrimônio sacramental permanece a mesma.

Dom Giulliano disse que a maioria dos Bispos concordou em uma abertura para divorciados que se casaram novamente for a da igreja católica, mas rejeitaram pedidos de adoção a casais do mesmo sexo. “O resultado desse Sínodo é importantíssimo, o Papa Francisco informou que o catecismo da Igreja Católica permanece igual. Os casamentos continuam com o matrimônio entre homem e mulher, com o amor file entre else e a fecundidade. Depois pode acontecer que o casal não seja fecundo então se abre caminho para a adoção, mas, após ter tentado através da medicina. Não queremos as adoções a essas novas formas de Famílias, de mulher que se Casa com mulher e de homem com homem, ou então que não podem fazer filhos”, destacou.

Frigenni reforçou suas palavras dizendo que “assuntos sobre problemas de casais de homens que convivem juntos, se isso é família ou se não é família, enfim toda uma série de discussão que o mundo de hoje bota em cheque a Igreja como se quisesse que a Igreja calasse a boca, e que else podem criar os direitos que o homem moderno tem que ter”.

O Bispo comenta que essa é a primeira vez que o Papa Francisco vai ter que pegar o resultado de todas essas reflexões para dar a sua última palavra. “Só quero que esse Sínodo abra as portas da igreja as pessoas, e que elas sejam acolhidas, acompanhadas e ajudadas. Uma das coisas que ele fez é que esse Sínodo confirma que cada Bispo pode ter ou não uma autonomia para interpretar a lei. Uma autorização onde ele pode intervir em certos casais, cuja anulação de casamentos é evidente por que teve ou falta de idade, ou falta de liberdade, violência ou até imposição”.

O Papa recebeu todas as documentações sobre a discussão, agora ele vai entrar em reflexão e como todo Sínodo, o Papa termina com uma Carta sobre a família, sobre o problema social.

Em Parintins

“Na nossa cidade tenho certeza que nós padres sabemos que aqui existe certos casamentos que não são válidos. Temos que construir aqui o nosso tribunal para poder avaliar. Não queremos ficar refém de um cara que tem grana, que pode pagar alguém para mentir. Nós temos que detectar bem aquilo que nós conhecemos, e facilitar a declaração de certos casamentos que podem acontecer, sem assim mandar pra Roma aquilo que nós podemos muito bem declarar aqui”, ressaltou o Bispo da Cidade.

Homossexualismo

Segundo o Líder da Igreja Católica em Parintins, o documento final reforça que o ensinamento da igreja é de que os homossexuais não devem sofrer discriminação na sociedade, mas que não há “fundação alguma” para o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Principal Objetivo

O objetivo desse confronto com a cultura local é ver qual é o melhor caminho para a palavra de Cristo, para que o ensinamento de Cristo possa entrar na vida dos cristãos não para impor condições, mas para valorizar a liberdade do homem, da mulher, a responsabilidade do casal e OS direitos das crianças.

Kedson Silva/JI

você pode gostar também