Bois de Parintins são agora Patrimônio Cultural do Brasil

Presidente do Caprichoso, Babá Tupinambá, prefeito de Parintins, Bi Garcia, ministro da Cultura, Sérgio Sá, e o presidente do Garantido, Fábio Cardoso

 

DEAMAZÔNIA BRASÍLIA – O Boi-Bumbá de Parintins recebeu, nesta quarta-feira (28/11), no Palácio do Planalto, em Brasília, o título de Patrimônio Cultural do Brasil. A cerimônia, da Ordem do Mérito Cultural (OMC), contou com a presença do presidente Michel Temer e do ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão. A OMC é a maior honraria pública da cultura do país.

 

Presidente do Caprichoso, Babá Tupinambá, com presidente Temer e Fábio Cardoso, presidente do Garantido, a direita.

 

Os certificados foram recebidos pelo presidente do boi Garantido, Fábio Cardoso e pelo presidente do boi Caprichoso, Babá Tupinambá. Os bumbás também realizaram um show com direito a itens oficiais no Palácio do Planalto. Os bois foram indicados a receber a o título no dia 9 de novembro, durante a reunião do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural, que ocorreu em Belém (PA).

O senador Omar Aziz (E), autor da Lei que conferiu a Parintins o título a Parintins, de Capital Nacional do Boi-Bumbá, o prefeito de Parintins, Bi Garcia,  e o secretário de Cultura do Amazonas, Denilson Novo, participaram da cerimônia.

A entrega do certificado é parte da cerimônia da Ordem do Mérito Cultural (OMC), uma condecoração outorgada pelo Ministério da Cultura (MinC) a pessoas, grupos artísticos, iniciativas ou instituições a título de reconhecimento por suas contribuições à cultura brasileira.

Parintins vai concorrer agora ao título de  Patrimônio Cultural da Humanidade em 2019.

 

Sobre a Ordem do Mérito Cultural

Trata-se da maior honraria concedida no campo da cultura. Mais de 700 pessoas e instituições já foram homenageadas desde a primeira edição, em 1995. A escolha é resultado de um processo rigoroso, que se inicia com indicações feitas por cidadãos e cidadãs. A partir daí, segue-se um processo de seleção que parte de uma Comissão Técnica, passa pelo Conselho da Ordem do Mérito Cultural e chega à Presidência da República.

A Ordem do Mérito Cultural é composta por três classes: Grã-Cruz, Comendador e Cavaleiro. Este ano, integram a classe Grã-Cruz seis agraciados; a classe Comendador tem 12 nomes; a classe Cavaleiro, 7. É possível que a mesma pessoa receba a comenda mais de uma vez, porém em classes diferentes. Os órgãos e entidades públicas e privadas, nacionais e estrangeiras são admitidos na Ordem sem grau de classes – este ano foram dez.

 

 

www.deamazonia.com.br/