Bolsonaro quer reduzir preço do gás

GLP residencial vendido em botijões de 13kg acumulou de janeiro até dezembro de 2019 um avanço médio de 10%.

O presidente Jair Bolsonaro disse em uma rede social que, para baixar o preço do gás no país, determinou a realização de estudos para a criação de novos locais no Brasil para o envasamento de botijões de gás de cozinha. “No Brasil existem poucas engarrafadoras. O botijão anda centenas de quilômetros p/ ser enchido e, depois, mais uma centena até o consumidor”, escreveu ele em rede social.

O presidente afirmou ainda que “com dezenas de centrais nos estados e mais empresas, essa verdadeira viagem do botijão deixaria de existir, teríamos mais competição e o preço cairia”. Ele atribuiu o pouco número de locais de abastecimento a uma espécie de “guerra” entre burocratas e especialistas. “Nessa guerra o inimigo a ser derrotado serão os burocratas (sem dificuldade da minha parte), e os “especialistas”, que se dividem em 2 grandes grupos: os idiotas úteis que gostam de aparecer nas TVs e os lobistas (graneiros)”.

Mas a criação de novas áreas de abastecimento de botijões não é simples. Segundo uma fonte do setor, as centrais precisam passar por uma série de requisitos de segurança e ambiental. Do lado das empresas, os espaços precisam ser economicamente viáveis de forma que a demanda local consiga atender a oferta.

– É uma estrutura que necessita ainda do aval da Agência Nacional do Petróleo. Geralmente, as empresas abrem centros de distribuição de botijões em áreas onde há mercado consumidor e a partir disso distribuem os produtos para regiões próximas  – disse.

O último reajuste ocorreu no fim de dezembro, quando a Petrobras anunciou  aumento, em média, de 5%. Assim, o  GLP residencial vendido em botijões de 13kg acumulou de janeiro até dezembro de 2019 um avanço médio de 10% nas refinarias da Petrobras, segundo cálculo de um especialista.

 

Bruno Rosa/O Globo-RJ

 

você pode gostar também