Gov-03

Brasil cria 313,9 mil vagas com carteira assinada em setembro

No ano, país acumula registro de 2,5 milhões de empregos formais. Dados do Caged foram divulgados nesta terça-feira (26/10)

(crédito: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

 

O Brasil criou 313.902 empregos formais em setembro, resultado da admissão de 1.780.161 pessoas e da demissão de outras 1.466.259, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados pelo Ministério do Trabalho e Previdência nesta terça-feira (26/10). A geração de emprego formal em setembro acelerou na comparação com o mês de agosto, de acordo com dados do governo.

No acumulado de 2021 até setembro, a economia brasileira registra 2.512.937 de empregos criados, resultado de 14.877.024 admissões e de 12.364.087 desligamentos. Nos 12 meses até setembro, o saldo está positivo em 3.191.060. Segundo dados, o crescimento de setembro é fruto de 1,780 milhão de admissões e de 1,466 milhão de desligamentos. No acumulado do ano, foram registrados 14,877 milhões de novas contratações ante 12,364 milhões de demissões.

Os dados mostram também que o programa de manutenção do emprego e renda (BEm), que permite a suspensão de contratos de trabalho e redução de jornada e salários, com um período subsequente de estabilidade no emprego, contribui para a manutenção desses postos.

Saldo positivo em todos os setores

Em setembro de 2021, todos os setores pesquisados pelo Caged registraram saldo positivo. Novamente, Serviços teve desempenho robusto e puxou a geração de vagas: foram 143.418 postos, com 1.068.705 até setembro deste ano. Na sequência vem Indústria, com 76.169 postos, 545.651 até setembro; Comércio, com 60.809 vagas, sendo 795.595 em 12 meses. Os setores Construção civil e Agricultura foram responsáveis pela criação de 24.513 empregos e 9.084 vagas, respectivamente.

 

Por Fernanda Strickland/Correio Braziliense

 

você pode gostar também