Bumbás do Amazonas serão certificados como Patrimônio Cultural do Brasil

Além de Garantido e Caprichoso, todas as representações culturais do Boi Bumbá do Médio Amazonas e Parintins também estão incluídas no certificado (Foto: Divulgação)

 

O Palácio do Planalto, em Brasília (DF), ganhará novas cores, ritmo e música nesta quarta-feira (28). O Boi Bumbá de Parintins vai se apresentar na cerimônia da Ordem do Mérito Cultural, onde também receberá oficialmente o certificado de Patrimônio Cultural do Brasil das mãos do presidente Michel Temer e do ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão.

Além de Garantido e Caprichoso, outras representações culturais do Boi Bumbá do Médio Amazonas e Parintins também estão incluídas no certificado da manifestação que foi reconhecido no último dia 09 de novembro, durante a reunião do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural, que ocorreu em Belém (PA).

Cristian Pio Avila, antropólogo da Secretaria de Cultura do Amazonas, que participou de um amplo projeto de pesquisa para a elaboração do pedido de registro dos bois, destaca a importância de esclarecer a força da cultura de bumbás no Estado, além de Caprichoso e Garantido.

“A pesquisa encontrou elementos suficientes para dizer, ainda que o epicentro seja os bois de Parintins, há registro mais antigos de manifestações. O certificado reconhece todas essas manifestações nesse cenário geográfico do Amazonas. Em cada local existe uma forma, um jeito diferente de brincar de boi. Do luxo e maestria dos Bois de Parintins, da tradição do boi de rua em Manaus até a simplicidade do boi de terreiro em Maués.”, afirma o pesquisador.

A entrega do certificado é parte da cerimônia da Ordem do Mérito Cultural (OMC), uma condecoração outorgada pelo Ministério da Cultura (MinC) a pessoas, grupos artísticos, iniciativas ou instituições a título de reconhecimento por suas contribuições à cultura brasileira.

indicados. Este ano, um total de 35 personalidades e instituições brasileiras que se destacaram no cenário cultural do País ao longo dos anos serão reconhecidas.

Cristian finaliza destacando algumas representações populares que também se tornaram Patrimônio Cultural do Brasil: “O Campineiro e os Bois em Miniatura de Parintins. Os garrotes e bumbás de Manaus, Itapiranga, Nova Olinda do Norte e Itacoatiara. E o Temozinho da Comunidade Nossa Senhora Aparecida do Pedreiro em Maués”, completa.

É destaque ainda, os bumbás Tira Fama e Mina de Ouro e a Vaca bumbá Mimosa, todos do município de Boa Vista do Ramos.

Pesquisa apurada

Os modos de brincar o Boi são diferentes dependendo da região do país. Em cada contexto há variações e denominações próprias, além de ocorrer em distintas épocas do ano. Seja qual for a vertente, o folguedo se estabeleceu de forma marcante na região amazônica e, a cada apresentação, faz o coração dos brincantes e de quem assiste pulsar mais forte. Nessa região, ocorre com mais frequência durante os festejos juninos dos santos católicos: Santo Antônio, São João e São Pedro.

O folguedo ou a brincadeira do Boi teria chegado na Amazônia por meio das missões jesuíticas, em seu esforço de catequização ao longo do século XVII, retomando tradições presentes no Mediterrâneo europeu e agregando influências indígenas e negras. Já no período de migração para a região amazônica, por conta da exploração das seringueiras e da produção da borracha, essas manifestações da brincadeira do Boi também receberam referências de outras regiões do país, principalmente nordestinas.

Alexandre Pequeno/acrítica.com/Manaus (AM)