Caprichoso emociona na primeira noite

A presença de Arlindo Jr, ex apresentador, que luta contra o câncer e Davi Kopenawua  pajé Ianomami. (Foto:Templários Azuis – Caprichoso)

 

 

Edmundo Oran chegou na cabeça de uma cobra junto com a Marujada. Dentro de um diamante surgiu o levantador de toadas David Assayag, que apareceu na arena sem óculos.

No módulo alegórico Yebá, a Deusa Brasilis do artista Mag, Lenilson Bentes, trouxe a porta-estandarte Marcela Marialva.

Na Lenda Nenia- Mura-Piraha: três preces de esperança, do artista Ferdinando Carivardo, surgiu a cunha-poranga Marciele Albuquerque.

Na evolução das tribos com a toada, Pesadelo dos Navegantes, surgiu o ex-apresentador Arlindo Junior que causou emoção na arena.

A Exaltação Folclórica foi a Festa de um boi brasileiro, trazendo o Boi Caprichoso, com o tripa Alexandre Azevedo, o Amo Prince do Caprichoso e a Sinhazinha Valentina Cid, com um vestido de transformação.

Com a toada: Um canto de esperança para Mátria Brasilis, o Caprichoso concorreu com Toada, Letra e Música.

Boizinhos do Maranhão surgiram na arena anunciando a chegada da Vaqueirada, com o Auto do Boi.

A Cunha-poranga voltou a evoluir com as tribos na trilha da toada, “ Vale do Javari” junto com os tuxauas.

O Mateiro da Amazônia do artista Alex Salvador, foi a Figura Típica Regional com a Rainha do Folclore  Cleise Simas..

A narrativa do pajé Yanomami  Davi Kopenawa, foi de forte apelo em defesa dos povos indígenas.

A apresentação encerrou com o ritual do artista Jucelino Ribeiro. Hekurawetaris, Yanomami a cura da terra , fechou a noite com a aparição do Pajé Neto Simões, com uma galera delirando.

 

Josene Araujo/JI-Festival 2019

Fotos: Assessoria de Comunicação do Boi Caprichoso

você pode gostar também