CENSURA TIRA PROFESSOR OTÁVIO GUEDES DA RÁDIO TIRADENTES

“Eu me transformei na principal ameaça à segurança da Rádio Tiradentes. A qualquer momento, o prefeito, seus jagunços, seus secretários invadirão a emissora. O governo fascista do Carbrás ignora a liberdade de expressão. Meu trabalho de esclarecimento atingiu os interesses de muita gente poderosa”. O desabafo é do Professor Otavio Guedes, comentarista do programa “Parintins em Revista”, vespertino da Tiradentes FM apresentado pelo ex-vereador Valter Lobato.

A censura a Guedes, segundo ele foi informado, partiu da direção do Grupo Tiradentes e veio dias depois que o estúdio da rádio foi invadido pelo secretário Wanderley Ribeiro, acompanhado de cinco jagunços na tarde de sexta-feira, dia 08.

Além do professor, a Enfermeira Samantha…. também foi censurada e proibida de acesso ao estúdio da emissora. “Não compreendi: A Samantha também sofreu com a censura. Em nenhum momento incitou, provocou ou ameaçou o prefeito. Sua competência, habilidade com as palavras incomodaram? Tenho uma intuição. Samantha é mulher”, cita o Otávio Guedes.

 

Invasão

Depois de críticas sobre o aumento da miséria, da vulnerabilidade e a deterioração dos Cras em Parintins, o Secretário da Assistência Social, Wanderley Ribeiro invadiu o estúdio da Rádio Tiradentes com 5 capangas. Num ataque de fúria, disparou contra o educador: “És um drogado… Não consumo tua maconha . És usuário do Creas[…]”. Sem controle, desesperado, abusou de expressões depreciativas.

Na avaliação de Otávio, “A informação é um negócio muito lucrativo. Parintins é um terreno fértil. A desgraça, a pobreza, os excessos, a ignorância pautam os programas nas emissoras locais. Por outro lado, rotulam, perseguem, estigmatizam, brincam, desrespeitam pessoas e assuntos sérios. Alimentam o povo com ilusão, ôba-ôba, sensacionalismo. Ganham a vida com sujeira, hipocrisias. A vida do miserável não importa. Quanto mais, viverão melhor”.

“Aqui, gente verdadeira não tem vez. Infelizmente, poucos assumem uma postura cidadã. Acredito na força do conhecimento. Se não aprendermos a transgredir, vamos continuar nas mãos de um governo fascista. Morrerei antiético”.

Destaca ainda que “o besteirol é a principal arma do prefeito nos programas de rádios pagos com dinheiro público. O povo não resolverá seus problemas com a notícia da escolha da nova cunhã-poranga, a derrota do Vasco ou o quanto em Parintins consomem Viagra. O povo não é idiota!”.

 

FONTE: JORNAL PLANTÃO POPULAR

 

você pode gostar também