Cooperativa paralisará transporte escolar

A Cooperativa do Transporte Escolar Aquaviário e Terrestre de Parintins (Cooptranspin) anunciou, nesta sexta-feira (13), que paralisará o serviço de transporte escolar a partir desta segunda-feira (16). Aproximadamente 12 mil alunos serão atingidos pela paralisação, deliberada por decisão da maioria dos cooperados da cooperativa.

Os transportadores definiram que só retornarão a suas atividades quando a empresa ganhadora da licitação, M. R. da Silva Vieitas Eireles, fizer o pagamento referente ao mês de outubro. A firma depositou R$ 442.249,20 (quatrocentos e quarenta dois mil, duzentos e quarenta e nove reais e vinte centavos) pelos serviços prestados em setembro. Apesar de o dinheiro estar na conta da Cooptranspin, os cooperados só aceitam receber se for os dois meses juntos.

A reportagem do O Jornal da Ilha entrou em contato com o presidente da cooperativa dos transportadores escolares de Parintins, Adeilson Pereira, que explica o porquê da paralisação. “A gente está esperando desde o dia 3, que foi anunciado o pagamento de dois meses. Hoje já é 13 e está com dez dias nesse ‘chove e não molha’ e decidimos parar porque não cumpriram o acerto”, comentou.

Além da paralisação, o presidente da cooperativa informa que um protesto será feito na sessão de segunda-feira, na Câmara Municipal. “Vamos juntos com as famílias dos transportadores para eles (vereadores) verem a necessidade que esse povo está passando. Tem gente que não tem nem dinheiro para comprar um quilo de sal. É até uma falta de respeito”, desabafou Adeilson.

O manifesto dos transportadores ocorrerá a partir das 15hs, quando eles sairão da cooperativa, localizada no bairro de Santa Clara, rumo a Câmara Municipal. No legislativo eles cobrarão que os vereadores lhe apoiem na causa e busquem soluções junto a empresa ganhadora da licitação e Secretaria Municipal de Educação.

 

Daniel Sicsú / JI

você pode gostar também