De zelador a apresentador de TV: Emanoel Cardoso fala sobre carreira

(AOS 41 ANOS, JORNALISTA AFIRMA QUE ESTÁ SEMPRE DISPOSTO APRENDER. FOTO: DIVULGAÇÃO)

 

 

Na última segunda-feira (6), uma postagem nas redes sociais chamou a atenção de centenas de usuários da internet. O jornalista Clayton Pascarelli precisou se ausentar do Alô Amazonas – que apresenta de segunda a sexta na TV A Crítica – por conta de um problema vocal. Em seu lugar, o colega Emanoel Cardoso assumiu a condução do programa com maestria.

“Apresentar um programa de três horas e dez minutos não é nada fácil e esse cara tirou de letra”, disse Clayton. Ao agradecer seu substituto, Pascarelli aproveitou para enaltecer as qualidades profissionais do colega e contar um pouco da sua trajetória. “Merecimento”, enfatizou.

A palavra-chave é realmente merecimento. Nascido no município de São Gabriel da Cachoeira (a 852 km da capital), Emanoel Cardoso logo se mudou para outro município do interior do Amazonas: Parintins, distante 369 km de Manaus. Sua trajetória profissional começou na função de zelador, na afiliada de uma emissora de TV na cidade dos bumbás.

Início da carreira

 

Filho mais velho de quatro irmãos, Emanoel saiu de São Gabriel com o pai aos sete anos, passou um período em Manaus, e retornou na juventude a Parintins. “Não sou parintinense, mas me considero por ter casado, tido filhos. Minha referência é Parintins”, destaca.

Na Ilha Tupinambarana, Emanoel começou a trabalhar como zelador numa emissora local. “Precisavam de alguém para limpar o terreno e cuidar das plantas. Como já gostava de trabalhar, assumi a vaga”. Ao vislumbrar a bancada de equipamentos técnicos da empresa, Emanoel ficou deslumbrado. “Queria saber como mexer, como fazia. Tinha uns equipamentos antigos. Um dia pedi para aprender, fiz amizades com os programadores. Em seguida comecei a filmar, editar. Saí de zelador a cinegrafista e editor de imagens”, conta.

Emanoel transferiu-se para uma emissora religiosa, onde passou a comandar as operações. Na época ele se recorda de um episódio curioso: “Fomos atingidos por dois raios. Dizer que raio não cai no mesmo lugar, mas caiu”, diz.

“Perdemos todos os equipamentos, mas conseguimos colocar no ar um jornal, estilo stand-up, todo gravado”, completa.

Por conta dos trabalhos precoces, Emanoel havia abandonado as salas de aula, mas por incentivo de uma amiga diretora de escola, ele retornou aos estudos em Parintins. Ele concluiu o ensino fundamental, mas desistiu no ensino médio.

“Retornei a primeira emissora que trabalhei como zelador, fiz entrevista e fui contratado para trabalhar como cinegrafista e editor”, afirma. Emanoel sentiu que precisava concluir os estudos. Retornou a Manaus, cursou supletivo e concluiu o ensino médio. “Em seguida, fiz um vestibular para um curso de Letras. Passei para o curso e surgiu uma vaga de repórter na emissora. Tinha que fazer tudo”, relembra.

Desafios na TV A Crítica

 

A entrada de Emanoel na TV A Crítica começou por volta do ano de 2007, ainda em Parintins. No mesmo ano, ele ingressou na faculdade de Jornalismo, recém-chegada no município. “A experiência na faculdade de Jornalismo foi incrível. Se deparar com filosofia, sociologia, história, me colocaram para pensar. E até hoje eu faço esse exercício. Pensar religião e repensar religião”, afirma.

Em 2015, Emanoel cobriu as férias de um colega na capital amazonense e ampliou sua experiência profissional na TV A Crítica. No ano seguinte, ele conseguiu uma vaga definitiva na emissora como repórter. Um dos grandes desafios do jornalista foi assumir o diário Cidade Alerta Amazonas, durante as férias do apresentador Mário César Filho.

“O mais difícil é apresentar um trabalho de toda uma equipe. Aprendizado têm definido o período que estou aqui. Do tempo de zelador até hoje, todo mundo que trabalha comigo tem a liberdade de me passar dicas de como fazer o meu trabalho melhor. Não estaria aqui sem esse companheirismo dos meus amigos”, destaca.

Nesta semana, Emanoel assumiu por um dia o comando do Alô Amazonas, um dos jornalísticos de maior audiência no Estado.“Na TV A Crítica tenho a oportunidade de fazer o meu trabalho com base no que acredito. Vale pelo aprendizado, pelo conhecimento, pela experiência de todo dia, conteúdo que conseguimos divulgar”, completa.

Além de estar ao vivo, todos os dias por link no Alô Amazonas, Emanoel Cardoso também apresenta o ‘FM O Dia Notícias’ das 7h às 8h na estação de rádio homônima. “Não quero perder a vontade de aprender”, conclui.

 

 

ALEXANDRE PEQUENO/Portal A Crítica