Gov-01

Defensoria notifica Vivo, Claro e Oi para que restabeleçam serviço de telefonia e internet no Baixo Amazonas

Na notificação, os defensores argumentam que as falhas nos serviços de telefonia e internet têm ocasionado sérios problemas à coletividade.

Parintins, Barreirinha, Nhamundá e Boa Vista do Ramos estão com falhas no serviço de internet, essencial no período de pandemia de Covid-19

 

O Polo do Baixo Amazonas da Defensoria Pública do Estado (DPE-AM) encaminhou às operadoras de telefonia e internet Vivo, Claro e Oi uma Notificação Extrajudicial para que restabeleçam os serviços  nos municípios da região dentro de 48 horas, sob pena de sofrerem uma ação civil pública com pedido de obrigação de fazer e de danos morais coletivos.

Há duas semanas, os moradores dos municípios da Parintins, Barreirinha, Nhamundá e Boa Vista dos Ramos, na região do Baixo Amazonas, têm sofrido com a indisponibilidade ou grande oscilação nos serviços de telefonia e internet. A notificação foi entregue à Vivo e à Claro nesta segunda-feira (11/05). A Oi será notificada nesta terça-feira (12/05). A notificação foi encaminhada às operadoras, com base em problemas relatados pela população dos municípios.

Na notificação, os defensores argumentam que as falhas nos serviços de telefonia e internet têm ocasionado sérios problemas à coletividade. “Isso porque, além de ser um direito do consumidor a qualidade na prestação do serviço, demonstra-se como dever do fornecedor a observância dos parâmetros de qualidade e a rápida solução de problemas em caso de ocorrências técnicas”, afirma um trecho do documento.

Os defensores argumentam ainda que as cidades de Parintins, Barreirinha, Nhamundá e Boa Vista dos Ramos têm grande parte de suas economias sustentadas no comércio e que esta atividade vem sendo atualmente desempenhada, em grande parte, por meio de serviços de delivery, em virtude do combate à Covid-19 realizado com a instrumentalização do isolamento social.

“Desta forma, não é justo, razoável e esperado que a mesma população que padece de uma grande crise de saúde, humanitária e social, permaneça sem a oferta de um serviço de telefonia e de internet de qualidade. Ressalta-se que se trata de um dever e não de uma mera faculdade das empresas, que apresentam responsabilidade objetiva no tocante aos acidentes e vícios do consumo”, afirmam os defensores na notificação.

No documento encaminhado às operadoras, os defensores públicos notificam as empresas para que solucionem os problemas no fornecimento de telefonia e internet nas cidades do Baixo Amazonas utilizando de sua equipe técnica com a máxima urgência e diligência.

Caso não possam solucionar os problemas, as operadoras devem apresentar, de maneira ampla, a toda a população dos municípios, os problemas atuais existentes e um cronograma de resolução da oferta do serviço de telefonia e internet, dando-se ampla divulgação e prioridade à resolução da questão.

 

FOTO: Clóvis Miranda/DPE-AM

Mais informações: Assessoria de Comunicação da Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM): André Alves (99984-3767), Márcia Guimarães (3631-0402, 3234-3322 e 99999-7222) e Ana Célia Ossame (99985-6048).

Postado por Carlos Frazão/JI

você pode gostar também