Gov-01

Deputado Saullo Vianna destaca trabalho da equipe de saúde da Ala Indígena do Hospital Nilton Lins

Nesta terça, a primeira paciente internada recebeu alta. Trata-se de Apolonia Zapata, indígena venezuelana da etnia Warao

O deputado Saullo Vianna (PTB) parabenizou a equipe médica da ala indígena do Hospital de Combate à Covid-19 da Nilton Lins, em Manaus. Nesta terça-feira (2), a primeira paciente internada recebeu alta. Apolonia Zapata, indígena venezuelana da etnia Warao, deixou o hospital após sete dias de internação.

“Importante que o trabalho de qualidade dos valorosos médicos amazonenses também sejam prestados aos indígenas. Parabenizo a equipe do Hospital Nilton Lins e destaco todos os incansáveis profissionais da saúde do Amazonas que não estão poupando esforços para vencermos esta guerra contra o Covid-19”, destacou Saullo.

No Hospital Nilton Lins, os profissionais que atuam na ala receberam capacitação para realizarem assistência humanizada. Na equipe, há inclusive três médicos indígenas.

Além da equipe multiprofissional, existe também todo um trabalho social antes da alta hospitalar.  A ala indígena tem 33 leitos clínicos e 20 de alta complexidade. Nesta terça-feira, três indígenas estão internados em enfermaria e quatro em Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Entre os diferenciais do espaço estão a observação de hábitos alimentares, viabilização de protocolos clínicos e o compartilhamento de diagnósticos e condutas de saúde, respeitando as etnias e o quadro clínico de cada paciente.

Para proporcionar uma melhor adaptação dos indígenas ao tratamento hospitalar, o local conta com espaço destinado a um pajé, o que garante aos pacientes, além dos protocolos médicos convencionais, a possibilidade de acompanhamento tradicional, conforme cada cultura. As enfermarias, além de cama, contam com redes para preservar hábitos.

 

Saullo Vianna destaca resultado positivo alcançado com crédito emergencial da Afeam durante pandemia

Mais de 6 mil empregos nos setores rural, indústria, comércio e serviço da capital e interior foram mantidos durante a pandemia com o apoio disponibilizado pela Afeam por meio do Crédito Emergencial.

Ao todo, foram investidos mais de R$ 20 milhões em financiamentos que contemplaram produtores rurais, empreendedores autônomos, microempreendedores individuais (MEIs), micro e pequenas empresas e profissionais liberais neste período.

O deputado Saullo Vianna (PTB) ressaltou que, o crédito emergencial foi destinado para suprir despesas com custeio, folha de pagamento, aluguel, contas de consumo e manutenção da atividade produtiva com prazos flexíveis, essencial para a retomada da economia do estado.

“O acesso a esse crédito foi feito exclusivamente por meio do site da Afeam e contemplou profissionais que sentiram muito com o fechamento do comércio e medidas de distanciamento social adotadas na segunda quinzena de março como forma de evitar proliferação da Covid-19 no estado. No interior, essa iniciativa alcançou 62% para o comércio, que varia desde o armarinho a padarias, por exemplo”, disse.

 

Números

Foram mais de 6 mil postos de trabalho garantidos por meio da linha de financiamento. Com 1.290 operações de crédito, sendo 670 no interior e 620 em Manaus, o comércio foi o setor mais beneficiado com apoio de Crédito da Afeam.

Em Manaus, o comércio correspondeu a 41% das operações, seguido da indústria (36%) e de serviço (23%). No interior, o Crédito para o comércio representou 62% do total, com outros 19% para o setor de serviço, 11% para o setor rural, e 8% para o setor secundário. As cinco atividades com maior número de operações de crédito foram: estivas em geral, venda de confecções, restaurantes/lanchonetes, perfumaria e confecção (costureira).

Os beneficiados incluíram ainda oficinas de automóveis, armarinhos, camelôs, padarias, entre outros.

A Agência enfrentou, assim como as demais instituições financeiras e bancos privados, um grande desafio para viabilizar o Crédito Emergencial na modalidade on-line de forma eficiente e que pudesse atender ao público, e ainda resguardar a segurança dos colaboradores e clientes.

 

Por Mahira Maia, assessoria de imprensa

Postado por Carlos Frazão/JI

 

você pode gostar também