Equipe de transição de Wilson Lima terá nomes de peso; veja quem são

Gabriel Chalita, Humberto Laudares, Luiz Castro, Carlos Almeida, David Uip e general Franklimberg comandarão a transição

 

O ex-secretário de educação de São Paulo, Gabriel Chalita, o médico infectologista e ex-secretário de Saúde de São Paulo David Uip, o cientista social, administrador e PhD em economia Humberto Laudares, e o general da reserva do Exército Brasileiro Franklimberg de Freitas irão compor a comissão de transição do governador eleito Wilson Lima (PSC).

Além deles, o vice-governador Carlos Almeida (PRTB) e o deputado estadual Luiz Castro (Rede) também farão parte da equipe, que será anunciada oficialmente à imprensa na tarde desta terça-feira.  O grupo será responsável por fazer a interlocução com a atual gestão estadual, levantar os números da administração e, a partir disso, fazer o planejamento para o novo governo, que inicia em 1º de janeiro.

“Essa equipe vem trazendo ideias inovadoras, coisas que são possíveis de serem feitas na gestão pública”, afirmou o governador eleito Wilson Lima, destacando a união da experiência de profissionais gabaritados com o conhecimento regional dos profissionais do Estado.  “Eles vão ajudar a tocar esse processo e terão a nossa equipe para auxiliar e fazer essa confluências das ideias novas com a nossa realidade. É importante a gente trazer inovações e aliar com o que é possível ser feito”.

Profissionais gabaritados

A equipe terá a coordenação de Humberto Laudares, que já participou de equipes de transição no Rio Grande do Sul e em São Paulo. PhD em Economia pelo Graduate Institute, na Suíça, e mestre pela Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, Laudares tem experiência em políticas públicas e participou de iniciativas de renovação política no País, como o movimento Agora! e o Renova BR.

Gabriel  Chalita, que será responsável pelos planejamentos na parte da educação, é advogado, jurista e escritor. Por São Paulo, exerceu mandatos de vereador e deputado federal, e já foi secretário estadual de Educação da gestão Geraldo Alckmin, por quatro anos, e também secretário municipal de Educação da gestão Fernando Haddad, por um ano e meio.  Formado em Direito, mestre em Ciências Sociais e Doutor em Comunicação e Semiótica, Chalita é um dos principais autores em atividade no Brasil, com mais de 45 livros publicados desde 1992.

Na saúde, quem será o responsável por coordenar a transição é o médico infectologista David Uip, um dos nomes mais respeitados do Brasil em sua área de atuação. Foi secretário de Saúde de São Paulo por cinco anos na gestão de Geraldo Alckmin e foi diretor da Casa da Aids (instituição ligada ao Hospital das Clínicas), do Instituto do Coração de São Paulo (Incor) e do Instituto de Infectologia Emílio Ribas. Atende, atualmente, no Hospital Sírio Libanês.

Conhecimento regional

O general do Exército Franklimberg Martins, que é ex-diretor da Fundação Nacional do Índio, será o responsável pela transição na área de Segurança Pública.  Com conhecimento da região Amazônica, o general Franklimberg foi chefe do Centro de Operações do Comando Militar da Amazônia, tendo participado do planejamento de Segurança em Manaus durante a Copa do Mundo. Ele assumiu a Funai em julho de 2017 e permaneceu no posto até abril de 2018.

O deputado estadual Luiz Castro (Rede), que está em seu quinto mandato na Assembleia Legislativa do Estado (ALE-AM),  foi candidato ao Senado em 2018, na coligação que elegeu Wilson Lima e Carlos Almeida, e obteve mais de 581 mil votos, ficando em terceiro lugar na disputa. É advogado formado pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam), ex-prefeito de Envira, no interior do Amazonas, e também ex-secretário de Produção Rural.

O defensor público Carlos Almeida, eleito vice-governador do Estado, também irá integrar a equipe de transição para a próxima gestão. No serviço público há 13 anos, Carlos Almeida é formado em Direito pela Ufam e Mestre em Função Social do Direito pela Faculdade Autônoma de Direito. Atuou em diversas causas coletivas de interesse público ao longo de sua jornada na Defensoria Pública do Estado, foi professor de Direito em diversas faculdades no Estado e integrou a  Comissão de Reforma da Constituição do Estado do Amazonas.

 

 

Dante Graça/acrítica.com/Manaus