Falta de estrutura nos postos de saúde gera transtornos

O sistema de saúde pública de Parintins está em estado de definhamento. Quem procura centros de saúde e hospitais em busca de auxílio médico tem que enfrentar mal atendimento, falta de medicamentos, longo período de espera e até mesmo o não-atendimento.

A reportagem do O Jornal da Ilha apurou que nos postos de saúde a situação é mais grave. Além da falta de remédios, também há carência de pessoal. Enfermeiros, técnicos e outros profissionais têm que se revezar para que os postos funcionem normalmente. Devido à demissão em massa de funcionários da prefeitura em agosto e setembro deste ano, centenas de auxiliares administrativos e serviços gerais foram dispensados, o que atingiu diretamente as unidades básicas de saúde.

Fora as dificuldades geradas pelo número reduzido de funcionários, os postos de saúde também enfrentam problemas estruturais. O Centro de Saúde Waldir Viana, por exemplo, está com aparelhos de ar-condicionado queimados devido à falta de manutenção. Os usuários do posto têm que enfrentar o calor enquanto aguardam atendimento.

A Prefeitura de Parintins tenta justificar os problemas nos postos de saúde colocando a culpa na crise financeira. Segundo dados coletados no Portal da Transparência da Controladoria-Geral da União, Parintins recebeu R$ 2.533.167,10 (dois milhões quinhentos e trinta e três mil cento e sessenta e sete reais e dez centavos) para investimentos na estruturação da rede de serviços de atenção básica de saúde em 2015.

 

Daniel Sicsú / JI

você pode gostar também