Estado

Fernando Menezes, em busca de uma cadeira na Câmara Municipal de Parintins.

Fernando é uma pessoa de bom papo, sempre solicito.

O empresário parintinense, do ramo gráfico, Fernando Menezes, casado, aos 59 anos lançou seu nome de pré-candidato a uma vaga na CMP na próxima eleição municipal. Filho do ex-vice prefeito e prefeito de Parintins, Paulo Vitorino de Menezes, que construiu o aeroporto e o Ginásio Elias Assayag, dentre outras obras na cidade, Fernando é uma pessoa de bom papo, sempre solicito quando precisamos imprimir nosso jornal e tirou um tempinho pra conversar conosco contando o porque dessa decisão.

Carlos Frazão – Por qual motivo você vai lançar seu nome na Convenção Partidária para uma das 13 vagas na Câmara Municipal de Parintins?

Fernando Menezes – O que leva colocar meu nome para escolha da população a Câmara Municipal, é o desejo de contribuir no crescimento, fiscalizando, no desenvolvimento econômico, apresentando bom projetos,  e ser um atalaia na defesa da população.

CF – Você sabe que o presidente Bolsonaro não goza de prestígio político em Parintins, e considera válida sua pré-candidatura à CMP?

FM –  Quando olhamos para eleição passada, achamos que isso é verdade, entretanto, hoje a história e diferente. Através do bom trabalho que ele está fazendo na economia brasileira, e os recursos injetados nos programas sociais, com certeza houve um crescimento muito significativo em seu eleitorado em nossa cidade. O eleitor parintinense é sábio.

 

CF – Qual sua principal proposta para a CMP e população parintinense?

FM – A minha principal proposta, é legislar, apresentar projetos ouvindo o anseio da população para seu próprio benefício, isto é, a reciprocidade pela confiança de me colocar como seu representante na Câmara Municipal.

CF – Como você vê a cidade administrada atualmente?

FM –  Excelente administração do prefeito Bi Garcia e Tony Medeiros. Hoje, até aqueles que não gostam do prefeito, batem palmas para sua administração.

 

Agradeço pelo papo e desejo boa sorte nas suas pretensões. Abração de Carlos Frazão/JI.

 

Fotos: Arquivo de Fernando Menezes

você pode gostar também