Flamengo se torna o primeiro campeão da Arena da Amazônia

Uma final mais que eletrizante e inesquecível na Arena da Amazônia, que pela primeira vez viu um campeão levantar a taça dentro do mais imponente estádio do Norte do País. E quis o destino que um dos clubes mais tradicionais do Brasil e de maior torcida, o Flamengo, ficasse eternizado ao levantar a primeira taça dentro do novo estádio com a vitória sobre o São Paulo 1 a 0, na tarde de ontem, e conquistando o título do Torneio Super Series.

O torcedor rubro-negro verdadeiramente se sentiu no estádio do Maracanã – reduto de conquistas do time carioca – e saiu mais que satisfeito com a festa que começou na vitória contra o arquirrival Vasco, na última quarta-feira, e que culminou com tons vermelho e preto regado a troféu e volta olímpica.

O jogo

A qualidade no passe e a velocidade pareciam que iriam ditar o ritmo para o São Paulo. No primeiro minuto em uma jogada rápida, o torcedor do Tricolor Paulista viu o meia Michel Bastos tabelar com Luis Fabiano e se aproximar com perigo da área, sem resultar em gol.

Depois, o que se viu foi o Rubro-Negro tomar as iniciativas. A pressão na marcação, diminuindo o poder de passe do Tricolor, surtiu efeito. Aos dois minutos, Arthur Maia cobrou falta pela lateral direita no canto baixo de Rogério Ceni, que espalmou e, no rebote, Marcelo Cirino, com o gol escancarado, não concluiu.

Mais coordenado, o Fla criou mais jogadas e passou rondar a área de Rogério Ceni, mas a ineficiência do ataque carioca não resultou em gols. Se estava calor para as equipes, uma chuva forte caiu no estádio, o que não impediu o São Paulo de arriscar um chute com Reinaldo. No lance seguinte, com a melhor oportunidade no jogo, Arthur Maia se livrou de Edson e, na conclusão, Ceni defendeu. O Tricolor somente voltou a assustar o goleiro Paulo Victor, aos 43 minutos. Maicon impediu o contra-ataque ao roubar a bola de Cárceres, deixando Thiago Mendes cara a cara com Paulo Victor – mas ele mandou a bola para as redes pelo lado de fora.

Na segunda etapa, as três substituições, além das entradas de Alan Kardec, Alexandre Pato e a sensação Jonathan Cafu (contratado para ser a peça de velocidade pela lateral) não deram certo.

E o Flamengo chegou ao gol. E não veio por meio dos atacantes. O zagueiro Samir foi o responsável pelo gol do título aos 32 minutos ao receber um cruzamento de Luiz Antonio de perna esquerda e escorar para o gol: 1 a 0. Aos 47, Alexandre Pato ainda teve um chute que raspou a trave de Paulo Victor. Flamengo campeão!

ACRITICA.COM

você pode gostar também