Gov-03

Histórias contadas no facebook, exaltam amor de torcedores pelo boi-bumbá e Parintins 

Desde o ano passado (2020), devido a pandemia do coronavírus, Parintins teve a maior festa a céu aberto do Brasil, com a disputa dos bois Caprichoso e Garantido interrompida, tendo a se reinventar com o isolamento social por meio da internet. Para “matar” a saudade dos amigos e familiares que em período festivo visitam a cidade, a parintinense Dalva Andrade criou uma página no facebook denominada “Histórias do meu Boi Bumbá”.

Parintinense Dalva Andrade

De acordo com Dalva que é filha da historiadora do boi Caprichoso e folclorista, Odinea Andrade, “a página tem o objetivo de envolver as pessoas amantes de Caprichoso e Garantido, em um momento que a pandemia afastou a todos fisicamente de uma forma inesperada, mas nos deixou unidos de alguma forma pelo amor que a gente sente pela cultura, pelos bois e por Parintins, vindo a preencher um olhar saudoso de querer viver ou reviver a festa por meio de histórias ou relatos individuais ou coletivos decorrentes em galpões, QGs, curral ou até mesmo na arena do Bumbódromo”.

Ela reitera que o espaço surgiu em 2020 (primeiro ano da pandemia), no final do mês de maio, após anuncio de cancelamento da festa pelo Governo do Estado e Prefeitura. “Tive a idéia nesse período, iniciando com os familiares e depois listei algumas pessoas que têm algum envolvimento com o festival para relatar um pouco do seu amor pelo boi, pela cidade e pela sua cultura, relembrando histórias que precisam ser contadas, mantendo viva a tradição, e as pessoas que se doam para essa festa acontecer”, reforça.

“Você que tem uma história relacionada a festa pode enviar para o e-mail [email protected] , tendo no máximo quatro fotos que contaremos sua história na nossa página “Histórias do meu Boi Bumbá” no facebook e no instagram @historiadomeuboi”, informa Andrade. 

As histórias também poderão ser acompanhadas pelo site ojornaldailha.com (do diretor Carlos Frazão). “Comente, curta e compartilhe nos ajudando a divulgar essa festa que é a maior do norte do Brasil”, conclui Dalva.

 

Kedson Silva/JI

Fotos: Divulgação

você pode gostar também