Homens armados causam terror em Escola de Parintins

Alunos, professores e funcionários da Escola Municipal Tadashi Inomata passaram uma tarde de terror, causado por três homens encapuzados armados com facas e terçado. O fato aconteceu na quinta-feira, 09, após um dos alunos do programa ‘Mais Educação’ perceber a presença de homens não identificados nas proximidades da escola. A coordenadora pedagógica, Carmem Iolanda relata que “foi uma ameaça de roubo, ainda bem que o aluno percebeu e evitou o pior”.

Segundo a Coordenadora “quando o aluno informou, nós professores, fomos averiguar e constatamos a presença de três homens, numa distância a pouco mais de 10 metros, atrás de uma das moitas, com as camisa amarradas na cabeça com vista somente para os olhos e armados”. Ela conta que a presença dos desocupados causou medo e pânico a todos, uma professora que tem problemas de hipertensão passou mal durante o acontecimento e decidimos encerrar as atividades em sala de aula.

De acordo com Carmem Iolanda “ficamos amedrontados, porque temos a escola cheio de criança de 06 a 08 anos, ficamos muito preocupados com a situação e com a segurança principalmente dos alunos, chamamos a policia e imediatamente eles vieram e verificaram tudo, quando eles perceberam a vinda dos policiais eles saíram correndo e infelizmente não prenderam ninguém. Foi meia hora de pânico até a vinda da policia, porque eles vinham e voltavam, causando medo a todos”.

Carmem destaca que “se Deus o livre eles estivessem adentrado a escola agente não saberia o que fazer e talvez nem pudesse fazer nada por se tratar de um assalto. As crianças estavam todas dentro da escola e trancadas pelas grades e os demais funcionários ficamos do lado de fora até a chegada da policia, graças a Deus não aconteceu o pior”.

Iolanda informa que nesta sexta,10, a Secretária de Educação encaminhou um vigia para o educandário, até para tranquilizar os pais e funcionários. Diante o ocorrido os pais dos alunos começaram a ligar amedrontados. Teve até pai que disse que o filho não iria mais estudar.

A mãe de um aluno conta que “foi um momento muito constrangedor, pedimos mais atenção aos professores e funcionários da escola, a aula continua normalmente, mais confesso que tenho medo de mandar meu filho para a escola”.

 

 

Kedson Silva/JI

você pode gostar também