Campanha Caburi

Juiz usa Facebook para encontrar reclamante que tinha dinheiro para receber, em Parintins

Após oito anos tentando localizar um trabalhador que venceu uma causa na Justiça pelas formas tradicionais, o juiz do Trabalho do município de Parintins, Aldemiro Rezende Dantas Júnior, “recorreu” à rede social Facebook encontrar o cidadão.Em menos de 48 horas, a publicação na rede conseguiu o que em oitos anos as diligências do oficiais de Justiça e OS editais em meios de comunicação não conseguiram realizar. O caso, que deve servir de parâmetro para outros processos, foi divulgado no site do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) DA 11ª Região.

O processo já tramitava na Justiça há 19 anos. Tratava-se de um precatório vencido. O reclamante era auxiliar de pedreiro e reivindicava o pagamento de aviso-prévio, férias proporcionais e Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

Após o acordo feito com a Prefeitura de Parintins para o pagamento do precatório, a Vara do Trabalho realizou várias tentativas para localizar o reclamante. Um oficial de Justiça foi enviado para o endereço informado, também foi divulgado edital em jornais e rádios locais, sem sucesso.

Na semana retrasada, o juiz divulgou o caso no Facebook. Dois dias depois o reclamante entrou em contato e na semana passada já recebeu o pagamento dos seus créditos.

Para a presidente do TRT DA 11ª Região, desembargadora Maria das Graças Alecrim Marinho, o caso é um bom exemplo a ser seguido. “É importante que a Justiça do Trabalho utilize todos OS meios possíveis para localizar um reclamante que tenha créditos a receber. Muitas vezes, pelo longo decurso do tempo, estas pessoas não são mais encontradas, porém o dinheiro FICA disponível nas contas judiciais e a nossa missão é fazer esse pagamento”, frisou.

O magistrado também comemorou o desenlace do caso em seu perfil DA rede social. “Pois bem, comprovando o imenso alcance DA rede social, mais de 200 pessoas compartilharam a postagem, e em apenas dois dias o credor apareceu. Esse é um dos lados positivos DA tecnologia”, publicou.

FONTE: ACRITICA.COM

você pode gostar também