Moro recebe ‘Carta de Manaus’ com recomendações para segurança nas fronteiras

Governador Wilson Lima entregou o documento elaborado no 3º Seminário Internacional de Segurança (Sisam), realizado na capital em maio (Foto: Divulgação)

 

A Carta de Manaus, documento elaborado no 3º Seminário Internacional de Segurança (Sisam), evento realizado pela Associação de Delegados de Polícia do Estado do Amazonas (Adepol-AM), foi entregue para o Ministro da Justiça e Segurança Pública do Brasil, Sergio Moro, durante encontro em Manaus, nesta segunda-feira (10).

O magistrado afirmou ler com atenção o documento e prometeu dar repostas em breve. O 3º Sisam foi realizado nos dias 22, 23 e 24 de maio, no Teatro Século, na Zona Oeste, com quase mil participantes inscritos.

A entrega da Carta de Manaus foi realizada em uma sala reservada, pelo Governador do Estado, Wilson Lima, na presença do vice, Carlos Almeida, e do titular da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), o tenente-coronel Marcus Vinícius de Oliveira. O documento possui 23 diretrizes para o aprimoramento da segurança na Amazônia Legal, considerado ponto chave para o narcotráfico no Brasil.

De acordo com o coordenador do 3º SISAM, delegado Mário Aufiero, a entrega é um marco na segurança da Amazônia e o ato significa aproximação com o Governo Federal em relação à situação das fronteiras da região amazônica. Segundo Aufiero, a ação simbolizou união sobre os pontos discutidos nos três dias de Seminário, com mais de 30 horas de palestras, e com 21 palestrantes especializados em segurança pública.

“A entrega da Carta pelo Governador do Estado do Amazonas, Wilson Lima, significar dizer que é pela primeira vez na história brasileira que as diretrizes de Segurança Pública e Fronteira da Amazônia realizadas na região por profissionais da área de segurança e quase todas as áreas do conhecimento serão levadas em consideração pelo Governo Brasileiro”, enfatizou.

O secretário de Administração Penitenciária do Amazonas (Seap), tenente-coronel Marcus Vinícius, afirmou que o ministro Sergio Moro foi atencioso ao receber a Carta de Manaus e que dará atenção especial ao documento, elaborado e reeditado após os três dias de evento. Conforme o secretário, o ministro foi claro em dizer que dará retorno no próximo encontro com o governador Wilson Lima.

“O governador Wilson Lima destacou ponto focal de desenvolvimento de inteligência no que tange a Segurança Pública na região Norte, ele fez essa fala e pediu para que o ministro olhasse de maneira diferenciada, ele entregou a Carta e disse que nós (Amazonas) temos pensamentos próprios, entendimento próprio para a segurança pública na região amazônica, que passa por toda uma logística, de tráfico internacional nas fronteiras, pediu a ele para ver com carinho esse entendimento que foi gerado durante o SISAM e ele afirmou que dará um feedback no próximo encontro com o governador”, finalizou o secretário da Seap.

A carta

As propostas contidas na 3ª Carta de Manaus, que resultou do debate entre profissionais de segurança pública da região, integrantes do sistema de justiça criminal, acadêmicos, representantes dos mais diversos segmentos sociais e credos teve um único objetivo: sugerir meios para aprimorar a segurança na região de fronteira por se tratar de uma área sensível usada por narcotraficantes.

O documento estabelece 23 ações estratégicas, dentre elas a criação da Iniciativa Amazônica de Segurança (IAS) – um foro permanente para a discussão e integração de políticas de segurança entre os estados e os países da região; a criação de força-tarefa permanente envolvendo as polícias estaduais, as polícias federais, as forças armadas, as guardas municipais e a defesa civil.

Outras diretrizes também são montar bancos de dados georreferenciados para a região com especial foco em seus recursos naturais e humanos; aprimorar o sistema prisional na região com a organização de unidades em razão da periculosidade de seus internos; implementar programas de prevenção à violência para jovens em situação de risco na região e valorizar o profissional de segurança pública.

 

Portal A Critica

 

você pode gostar também