Novo edital do programa Mais Médicos oferece 50 vagas para o Amazonas

Edição oferece mais de 2 mil vagas para profissionais atenderem as populações de áreas com mais dificuldades de acesso em todo o País (Foto: Divulgação)

 

Estão abertas 50 vagas no Amazonas para a contratação de médicos para prestarem assistência básica dentro do “Programa Mais Médicos”.

Publicado no Diário Oficial da União (DOU) na última segunda-feira (13), o novo edital oferece 2 mil vagas para os profissionais atenderem as populações de áreas com mais dificuldades de acesso (comunidades ribeirinhas, fluviais, quilombolas e indígenas, por exemplo) e que dependem do atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS). Cerca de 790 municípios com altos índices de vulnerabilidade poderão renovar participação no programa.

Das vagas destinadas ao Amazonas, quatro são para atuar nos Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI) do Estado, onde as comunidades sentiram de imediato a saída dos médicos cubanos do programa federal no começo do ano. No entanto, segundo o líder Baniwa do Alto Rio Negro, Bonifácio José, após quatro meses o déficit de profissionais está sendo superado aos poucos.

“Os problemas que persistem são a falta de medicamentos, combustíveis ou equipamentos de viagens para atender comunidades. Por isso, defendo que os DSEIs tenham autonomia para contratar esses serviços”, disse.

O presidente do Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Amazonas (COSEMS-AM), Januário Neto, ressalta que as desistências dos médicos, felizmente, foram poucas no Amazonas.

“O grande gargalo foi resolvido com esse edital. Estou otimista com o preenchimento dessas vagas no Amazonas, principalmente quando abrir para formados no exterior que, por falta de oportunidades, costumam ser mais receptivos à ideia de passar alguns dias longe dos centros urbanos”, observou.

Caso haja vagas remanescentes dessa 1ª etapa, as oportunidades serão estendidas, em uma segunda chamada, aos médicos brasileiros formados em outros países e que já tenham habilitação para o exercício da medicina no exterior.

Nesta primeira fase, será priorizada a participação de médicos formados e habilitados, com registro em qualquer Conselho Regional de Medicina do Brasil, com títulos de especialista ou residência médica em medicina da família e comunidade obtidos no País. Os médicos aprovados devem começar a atuar nos municípios a partir de junho e receberão bolsa-formação no valor de R$ 11,8 mil.

Aproximadamente 6 milhões de pessoas que vivem nas áreas mais vulneráveis do Brasil terão a assistência na Atenção Primária reforçada nesta nova etapa do Programa Mais Médicos, que será o 18º Ciclo do programa.

Os profissionais com CRM Brasil interessados em aderir ao “Mais Médicos” terão entre os dias 27 e 29 de maio para fazer a inscrição, que será realizada, exclusivamente, pela internet, por meio do Sistema de Gerenciamento de Programas (SGP), neste site.

LUIZ G. MELO/Portal A Crítica