Gov-01

‘Novo’ Oeste?

Parintins não pode ser este 'novo' oeste, não.

A mudança é apenas na troca da palavra ‘velho’ pelo ‘novo’ oeste, mas o derramamento de sangue é o mesmo. Os bilhetes com os nomes das vítimas continuam. Emboscadas e recompensas seguem o mesmo enredo do ‘velho’ oeste do século XIX. Se bem que cavalos deram lugar as motos, chapéus a capacetes, botas, esporas a tênis de marca. Os cowboys são motoqueiros impiedosos.

Resta saber se no ‘novo’ oeste é bandido quem mata ou quem morre. Essa história daria um curta ou um longa-metragem? Na visão de um cineasta, talvez!

Outra tipificação na cultura cinematográfica caberia um serial killer, ou seja, assassino em série? Seja o que for, ninguém aceita conviver com este sentimento de cidade sem lei, pois o medo toma conta das pessoas e nesse ‘vento’ tenebroso, que sopra sobre a nossa ilha, já são doze CPF’s cancelados, todos com características de execução.

Esse cancelamento, certamente, tem disputa por território do tráfico de drogas, dinheiro e poder de facções. Triste cenário para uma população que tem outra proposta de vida: a arte. A cultura do boi de pano explica essa realidade, mas, o que se ver é a ‘mãe’ de todos crimes imperando soberanamente.

Parintins não pode ser este ‘novo’ oeste, não. Essa fumaça, do medo, que sufoca sua população tem que sumir. Ao invés de pistolas, flores; ao invés sangue derramado, cultivo de novas possibilidades de dias melhores para a nossa gente. Que uma ou mais pessoas puxem o gatilho da esperança e o fim deste momento cruel que ninguém merece passar.

 

Aroldo Bruce/JI

Foto: Ilustração PMAM

você pode gostar também