Gov-01

Opinião | Impeachment arquivado

Foram 12 votos a favor do arquivamento das denúncias, 6 pelo prosseguimento das denúncias, 5 abstenções e uma ausência.

A maioria dos deputados estaduais seguiu o parecer da Comissão Especial do Impeachment do governador Wilson Lima (PSC) e do vice Carlos Almeida (PTB) e votou pelo arquivamento dos pedidos de cassação dos mandatos.

Votação

A votação foi realizada durante sessão ordinária híbrida na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam) ontem (6). Foram 12 votos a favor do arquivamento das denúncias, 6 pelo prosseguimento das denúncias, 5 abstenções e uma ausência.

Leitura do parecer

Na última terça-feira (4) foi feita a leitura do parecer do relator Dr. Gomes (PSC). O relator pediu arquivamento acerca das denúncias dos pedidos de impeachment do Governador do Amazonas e vice. Ambos foram alvos das denúncias por crimes de responsabilidade e improbidade.

Relatório

O relatório contém 32 páginas e traz desde denúncias até defesas do governador e do vice. No parecer, o relator afirma que nas denúncias não existe crime de responsabilidade.

E ainda afirma que o relatório, possivelmente, o sujeitará a duras e injustas críticas vindas daqueles que não compreendem adequadamente como funcionam as instituições democráticas.

“Eu não podia ser instrumento e ser manipulado por denúncias com viés político”

‘Não ocorreu delito’

Da Tribuna, Belarmino Lins (PP) reafirmou o voto a favor do arquivamento. O deputado afirmou com convicção “que não ocorreu de forma sustentável e plausível delitos que ensejem para cassação”.

‘Ingratidão ao povo’

O deputado Dermilson Chagas (PODEMOS) votou contra o arquivamento e alertou aos parlamentares que votaram a favor do arquivamento que estão desferindo “o punhal da ingratidão” ao povo amazonense.

Quem votou a favor

Belarmino Lins (PP), Doutor Gomes (PSC), Abdala Fraxe (Podemos), Adjuto Afonso (PDT), Alessandra Campêlo (MDB)

Augusto Ferraz (DEM), Cabo Maciel (PL), Carlinhos Bessa (PV), Joana Darc (PL), Roberto Cidade (PV), Saulo Viana (PTB) e Teresinha Ruiz (PSDB).

Quem votou contra

Delegado Péricles (PSL), Dermilson Chargas (Podemos), Wilker Barreto (Podemos), Alvaro Campêlo (Progressistas), Josué Neto (PRTB) e Serafim Corrêa (PSB).

Abstenção e ausência

Fausto Júnior (PRTB), Felipe Souza (Patriota), João Luiz (Republicanos), Sinésio Campos (PT) e Ricardo Nicolau (PSD).

Mayara Pinheiro (PP) estava ausente.

Democracia

Em nota, o governador Wilson Lima afirmou que o processo de votação que resultou no arquivamento do pedido de impeachment na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM), nesta quinta-feira (06/08), fortalece a democracia e demonstra que o que devem prevalecer são as leis do Estado e do País.

Ele ressaltou o respeito à independência do poder legislativo e espera contar com a ALE-AM na construção de políticas que auxiliem no desenvolvimento do Amazonas e na melhoria da qualidade de vida da população.

Retorno

Após onze dias de um acidente náutico, o deputado estadual Josué Neto (PRTB) voltou a presidir os trabalhos na Aleam durante a votação do parecer da Comissão Especial do Impeachment.

O presidente chegou a postar nas redes sociais uma selfie sua no plenário, com a frase: Obrigado Deus pai, de volta ao trabalho.

Josué sofreu um acidente na tarde do último dia 26 de julho e sofreu uma fratura leve na tíbia da perna direita.

Deixará a prisão

Hoje (7), o médico Mouhamad Moustafá deixará a prisão, após a decisão do ministro Nefi Cordeiro, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que considerou ilegal a prisão do médico.

Mouhamad está preso desde dezembro de 2018. A informação foi confirmada pela Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), conforme noticiou o portal Amazonas Atual.

 

 

Siga a Direto ao Ponto:

Facebook: facebook.com/diretoaopontonews1

Instagram: @diretoaopontonews

Twitter: @diretoaoponto1_

 

Fale com a gente:

WhatsApp: 92 98413-2214

Postado por Carlos Frazão/JI

você pode gostar também