Opinião: O Festival Folclórico Pode Esperar

A propagação do coronavírus acontece numa velocidade inimaginável, colocando o mundo em desespero.

É claro que pode. Entretanto, observa-se que muitas pessoas estão mais preocupadas com uma possível não realização do Festival Folclórico, do que com a própria saúde. A maioria alega que a economia do município entrará em colapso e os efeitos seriam catastróficos para o restante do ano.

Essa preocupação é atribuída pelo fato dos investimentos altíssimos que muitos fizeram pensando resgatá-lo no período da festa. Não tenho dúvidas de que, com o cancelamento do festival folclórico, as perdas na economia seriam irreparáveis. Todos sabemos que Parintins depende muito do festival, no entanto, a saúde da população parintinense deve ser priorizada.

A propagação do coronavírus acontece numa velocidade inimaginável, colocando o mundo em desespero. Infelizmente, a enfermidade é o assunto do momento. As pessoas fazem suas coisas, tentam manter a tranquilidade, tentam levar uma vida normal, mas carregam na mente uma preocupação extrema, pois as notícias que circulam na mídia são assustadoras.

Penso que a preocupação maior, neste momento, é com a prevenção a enfermidade. Obediência às recomendações médicas, fuga de aglomerações, cuidados com os nossos idosos e etc. Cada um fazendo a sua parte, certamente, estaremos bloqueando a entrada do vírus no nosso município. Depois que estivermos livres desse mal, aí sim, poderíamos pensar no festival. E outra coisa, se o festival for cancelado ninguém vai morrer por isso. Agora, com coronavírus os riscos seriam incalculáveis.

Então, meus amigos, vamos primeiro vencer essa batalha contra o Covid-19. Sejamos responsáveis e cumpridores das medidas solicitadas pelos órgãos competentes. Não deixemos que só as autoridades da saúde e os governos façam a parte deles. Façamos também a nossa. A “salvação” do festival depende de nós. A prevenção deve ser levada à risca. Sabemos da importância do festival folclórico para a nossa cidade, porém, não dá para brincar o boi bumba diante da ameaça desse vírus. Portanto, vamos primeiro pensar na saúde coletiva da população parintinense, porque o festival folclórico pode esperar.

 

Aroldo Bruce, jornalista, colaborador JI

Blog Ilha Tupinambarana

 

você pode gostar também