Estado

“Perca um minuto da vida, mas não perca a sua vida em um minuto”

Tomem cuidado, seja fiscal de si mesmo...

Tá ok, vou deixar aqui meu pensamento, espero ser compreendida e não punida.

 

Quer dizer que quando alguém morre de forma trágica no trânsito, “os projetos” de melhoria no trânsito viram poesias nas mídias sociais…Bacana, eu gosto de ouvir, acho o máximo, porém, seria bom se saísse das palavras e da papelada e se concretizasse, pois isso não é de hoje.

Depois de um fato trágico, há sempre esse reboliço, e passados alguns dias, esquecem, e só voltam a falar novamente quando outro caso acontece.

Ouvindo o programa da Márcia Baranda, ouvi uma entrevista com um jovem, acredito que responsável pelo trânsito em Parintins, lembro o nome, Diego, dizendo que vão começar a intensificar a fiscalização no trânsito. E eu aqui, como leiga, apenas como cidadã, gostaria de deixar uma sugestão. Que essas fiscalizações NÃO sejam realizadas apenas nos dias de semana ao meio dia, que é quando trabalhadores transitam, voltando para suas casas, outros levando os filhos para a escola, e as vezes até dois em uma moto, pois aqui na cidade as motos são os meios de transporte que a maioria das pessoas utiliza, e sim nos finais de semana, tempo em que a partir da sexta feira, sábado e domingo, o povo começa a “enfiar o pé na jaca”, bebendo todas em diversos pontos da cidade, transformando-se em “pretensos” suicidas ou homicidas. Pretensos sim, pois sabe-se que quando alguém bebe e sai de moto ou outro automotor, o vento na cara ajuda na perda dos reflexos e as vezes da consciência.

Então, a sugestão é: Nos fins de semana coloquem a fiscalização em pontos estratégicos de maior “movimentação” na cidade, por exemplo a partir das 15h à meia noite, que são os horários que mais acontecem acidentes na cidade. Como eu sei? Eu trabalho em um setor de notificações e eu vejo as fichas e os horários de maiores incidências.

Porque não adianta tão somente exigir o capacete dos motoqueiros, e as bicicletas elétricas, que andam mais velozes que muitas motos, os tricicleiros, (há exceções) que cruzam as esquinas sem olhar para os lados, aquelas motos “Ducar” acreditam que seja esse o nome que se dá, muitos motos taxistas, meu Deus que pressa é essa? Já vi muitos passando em alta velocidade nos sinais fechados, e também alguns entregadores de delivery que voam nas ruas, e muitos deles as vezes em motos sem luz a noite.

Pense em um perigo!!!! Tirando os carrões luxuosos, lindos que são dirigidos com a luz alta no centro da cidade. Gente, luz alta tem hora pra ligar, acredito eu, com minha inexperiência nesses assuntos, que na rua Cordovil ou Nações Unidas por exemplo, ruas estreitas e movimentadas não é o caso de ligar luz alta, liguem em um trecho escuro ou na estrada, mas abaixem depois. Enfim, se eu for pôr irregularidades aqui não é hoje que paro de escrever. Então, concluo por aqui, fazendo um pedido as pessoas, tomem cuidado, seja fiscal de si mesmo, não precisava o Detran vir fiscalizar a população, todos nós sabemos o certo e o errado, vamos no mínimo dirigir com prudência, a nossa vida, um trauma na cabeça nos tira desse mundo em questão de segundos. Eu não sou a pessoa mais prudente no trânsito, tenho minhas falhas, mas tem coisas que procuro não fazer, como cruzar de qualquer jeito, correr demais mesmo eu estando na preferencial. Outra coisa que quase ninguém sabe, quais são as preferenciais na cidade de Parintins, acredito que se poderia fazer um mapa e divulgar à população. Reduzam pelo menos nas esquinas. Vejam o caso dessa jovem que vinha na preferencial, certinha, mas os motoqueiros que vinham em altíssima velocidade a atropelaram de maneira irresponsável, triste, eu vi o vídeo e chorei, sem ao menos conhece-la.

No mais, fica aqui uma frase que sempre falo para as pessoas: “Perca um minuto da vida, mas não perca a sua vida em um minuto”

 

Por Concy Rodriguez

Colunista JI

Imagem: Ilustração/Internet

você pode gostar também