Perigo do alto com Papagaio de papel

Como acontece todos os anos, durante o período do verão, inicia-se em nossa cidade o conhecido “tempo de papagaio” em várias ruas, esquinas e praças da Ilha. A brincadeira de rua é praticada por crianças, jovens e adultos botando em risco a vida dos parintinenses através da linha com cerol.

Motociclistas e ciclistas são os que mais correm o risco de se tornar vitima da brincadeira centenária. “Os meninos que se divertem com essa brincadeira tem que ter mais responsabilidade, principalmente com a linha com cerol que pode com um corte profundo levar a óbito uma pessoa, decapitando ou se chegar a atingir a veia jugular de alguém”, orienta o técnico em necropsia, Benedito Pimentel.

De acordo com o pedreiro, Carlos Santos o perigo não é o local onde a brincadeira está sendo realizada, mas até aonde a linha com cerol pode chegar. “Ao cair o papagaio de alguém essa linha abaixa imediatamente. Se muito distante, pode fazer várias vitimas ao mesmo tempo”, destacou.

Durante a semana pelo menos cinco pessoas tiveram cortes superficiais no pescoço, sendo deles três mototaxistas. “Eu trafegava próximo a Praça dos Bois junto com minha esposa quando fui surpreendido com a linha em meu pescoço. Graças a Deus não aconteceu nada grave, porque a minha esposa avistou a linha com cerol e a pegou. Evitando o pior”, relata uma das vítimas, o mototaxista Aroldo Gonçalves.

Nos finais de semana, sem um local apropriado para a prática da brincadeira do papagaio de papel, a Praça dos Bois está sendo o principal ponto dos conhecidos ‘empinadores’ da brincadeira.

 

Linha Chilena

 

É uma linha de alta periculosidade em termo de corte, onde para a utilização dessa linha, os ‘empinadores de pipa’ tem que cobrir os dedos com pano ou outro material para evitar o contato com a pele.

Em diversas cores, o uso e venda desse material é proibida. Mas em Parintins ela está sendo comercializada e utilizada livremente.

 

 

Kedson Silva/JI

Foto:Ilustração

você pode gostar também