Gov-03

Personalidades de Parintins têm marcas eternizadas na obra do artista Augusto Simões

Nomes como dos ex-presidentes do Boi Caprichoso, Rai Viana, Joilto Azêdo e do Boi Garantido, Adelson Albuquerque, assim como, da historiadora e folclorista, Odinéia Andrade, estão marcados na 'calçada da cultura' de Parintins.

Buscando enaltecer a arte e a cultura de Parintins, além de homenagear personalidades que ajudaram a desenvolver o meio artístico e cultural do município, desde o dia 05 de novembro, Dia Nacional da Cultura, parintinenses e pessoas que escolheram à Ilha Tupinambarana como sua nova morada, deixam as marcas das mãos registradas e eternizadas como parte da escultura “Exaltação das Artes”, do artista Augusto Simões, localizada na Orla, no centro da cidade.

Nomes como dos ex-presidentes do Boi Caprichoso, Rai Viana, Joilto Azêdo e do Boi Garantido, Adelson Albuquerque, assim como, da historiadora e folclorista, Odinéia Andrade, estão marcados na ‘calçada da cultura’ de Parintins. “Para nossa cultura não existe cor. Quanta honra poder imortalizar essas grandes e valorosas pessoas que fizeram e fazem parte da cultura do nosso povo. Eternamente Grato!”, comemora o artista.

A obra “Exaltação das Artes”

De acordo com Augusto Simões, a arte feita de ferro e cimento teve ajuda de um soldador e um ajudante e mede 14 metros de altura, tendo nos braços direito e esquerdo, uma espécie de cápsula do tempo para as pessoas deixarem suas mensagens para a prosperidade. O pergaminho terá a escultura de nomes de compositores que fazem o ritmo do boi-bumbá (toada). “A calçada com o nome e a mão das pessoas é para que nós tenhamos uma lembrança no futuro, de ex-presidentes, torcedores, brincantes e de pessoas que vieram de outros estados, gostaram do nosso festival, da nossa terra e aqui ficaram para morar conosco”, detalha.

Trajetória

Sobre a obra, ele destaca que é um projeto de 36 anos de arte, como desenhista, pintor, escultor e algumas vezes compositor, tendo no currículo, a criação da Comissão de Arte do Boi Garantido (1995). Sua história na arte iniciou aos 12 anos de idade, como o primeiro aluno de Irmão Miguel de Pascalle, fazendo parte da pintura e criação das esculturas sacras existentes na Catedral de Nossa Senhora do Carmo (Padroeira de Parintins).

Artista Polêmico

Augusto afirma que já apresentou 4.848 obras no Brasil e exterior na realização de 46 exposições, sendo cinco a nível internacional, ganhando alguns prêmios. Sobre as obras polêmicas, Simões relata que já respondeu 23 processos, citando trabalhos artísticos referentes ao Crime do Areial, Parintins Moderna, Justiça Cega e Pai Afasta de Mim este Cálice.

Sonho Futuro

O artista diz ainda ter um grande projeto se um dia voltar para a Comissão de Arte do seu boi Garantido, criada para trabalhar o ano todo e não apenas na concepção de arena, mas gerando emprego, renda e embelezando a cidade. “Tem muitos empresários espalhados por esse Brasil que gostaria de investir no município. Se depois do festival, aproveitássemos essas esculturas na cidade em homenagem por exemplo, a uma Nega Parteira, Valdir Viana, Dom Arcângelo Cerqua, Pastor Lessa, dentre muitos outros, e contando a história e o legado deixado por cada um, garanto que Parintins seria uma cidade cultural. O artista precisa de apoio, pois tem somente a arte a seu favor”, finaliza Augusto Simões.

 

Texto: Kedson Silva

Fotos: Internet

você pode gostar também