PM do Amazonas entra em greve e os rodoviários recolhem os ônibus por segurança

Com a greve dos policiais militares rodoviários também entram em greve e devem começar a recolher os ônibus com medo de assaltos (Foto: Divulgação)

A Associação dos Praças do Estado do Amazonas (Apeam), confirmou da parada dos policiais militares a partir das 19 horas desta quarta-feira (14).

Segundo o presidete da Apeam Gerson Feitosa, a paralisação da Polícia Militar terá a duração de 72 horas ou até o Governo do Estado cumprir o que diz a Lei 4.044/2014, que contempla benefícios aos policiais militares e bombeiros.

“Convoco a todos vocês que às 19h não montem serviço. Essas faltas começam a partir de hoje e vão até sexta-feira, no turno da manhã. Só montará serviço o policial que estiver entrando no turno da noite da sexta feira. Vocês, policiais da capital e do interior, todas as unidades estão aderindo à luta em defesa da nossa lei. Não podemos aceitar nenhum tipo de troca do nosso direito” anunciou o presidente da Apeam.

Com a paralisação os policiais militares, rodoviários que trabalham no transporte coletivo na cidade de Manaus, também devem paralisar suas atividades.

Segundo Givanci Oliveira, presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Rodoviário de Manaus (STTRM), assim que os policiais militares pararem o trabalho, a ideia é de recolher os ônibus e não circular pelas ruas da cidade por medo da falta de segurança.

“Nós temos uma preocupação grande em relação à nossa segurança. Vamos pegar o gancho da greve dos policiais, tanto pela nossa segurança em rodar pela cidade à noite sem vigilância, quanto para usar o protesto para pedir maior segurança ao transporte público”, disse Givancir.

No primeiro momento, os ônibus deverão parar de circular e aprevisão é de que entre 60% ou 70% da frota em Manaus paralise ainda esta noite.

 

www.portalam24h.com

você pode gostar também