Prefeitura firma apoio a Associação de Zootecnistas do Amazonas aclamada em audiência na Câmara

A sessão especial proposta pelo presidente do legislativo, Telo Pinto, aclamou a Associação de Zootecnistas do Amazonas (AZAM).

Apoiar a atuação dos profissionais de zootecnia abrindo espaço nos nos editais dos concursos públicos foi o compromisso firmado pelo prefeito em exercício Tony Medeiros em Audiência Pública realizada na Câmara Municipal de Parintins, nesta sexta-feira, 07.

A sessão especial proposta pelo presidente do legislativo, Telo Pinto, aclamou a Associação de Zootecnistas do Amazonas (AZAM).

Tony Medeiros reconheceu a união dos profissionais que se juntam em associação para potencializar o desenvolvimento do setor primário do município de Parintins e do Estado do Amazonas.

“Precisamos assegurar mais espaço para os profissionais de zootecnia, principalmente na elaboração de  editais de concursos, definindo as competências da profissão e oferecendo as vagas necessárias para desenvolver o setor primário. Destaco o profissional zootecnista  que trabalha com pesquisa, genética e visa a produtividade”, assinalou.

Ele também detalhou o empenho do prefeito Bi Garcia na busca de emendas estaduais  e federais para a execução de projetos.

O subsecretário da Secretaria de Pecuária, Agricultura e Abastecimento (Sempa), Lúcio Kimura, falou da importância da organização da classe.

“Eles vão poder ampliar novas áreas de mercado no município, tendo em vista que o prefeito Bi Garcia e o vice-prefeito Tony Medeiros tem trabalhado com  emendas e programas”, afirma.

Lúcio lembra que o setor primário é uma grande oportunidade de negócio e a Prefeitura, por meio da Sempa tem buscado as parcerias para fortalecer não só o mercado institucional, mas também o mercado privado que são janelas de emprego para a classe.

O presidente da entidade,  Carlos Adenir Brandão comemorou o ato.

“Hoje é um momento importante para a classe. Treze anos após a criação do curso de Zootecnia, em 2006,  estamos voltando como profissionais para mostrar as dificuldades, os anseios e reivindicar o espaço para 99 profissionais formados pela Universidade Federal do Amazonas que precisam trabalhar”, relata.

A professora de melhoramento genético do curso de Zootecnia, Soraya Freitas, lembra que uma classe profissional organizada em associação tem uma representatividade que expande as barreiras das instituições públicas e consegue barganhar mais espaço no mercado e lutar pela hegemonia da classe dentro da agropecuária.

Os profissionais também buscam se proteger em função da Lei 970/2010 do Conselho Federal de Medicina Veterinaria que limita o zootecnista a atuar em algumas áreas, principalmente na avicultura.

A diretoria executiva da Associação é formada pelo presidente Carlos Adenir Brandão, vice-presidenteJosé Alexandre Siqueira de Souza, primeira secretária Valéria Medeiros, segundo secretário Wériko Cursino, primeiro tesoureiro Weyler Dray e segundo tesoureiro Thiago Souza.

 

Peta Cid/SEMPA/SECOM

 

você pode gostar também