Projeto Pé-de-Pincha devolve 800 tracajás à natureza

Há seis anos comunitários desenvolvem ações de conservação da espécie no Parananema

 

Criado para expandir a conservação de quelônios na Amazônia, o projeto Pé-de-Pincha atua há 15 anos em cidades do Amazonas e Pará com trabalhos de gestão participativa na conservação da espécie e sensibilização ambiental em diversas comunidades ribeirinhas.

Em Parintins, o Pé-de-Pincha é desenvolvido desde 2001. Na comunidade do Parananema, o projeto foi implantado no ano de 2009. Todos os anos, comunitários e alunos da Escola Municipal São Pedro do Parananema coletam ovos e realizam a soltura de tracajás na natureza.

De acordo com a professora Valdecira Tavares, o trabalho desenvolvido na comunidade é essencial para a educação ambiental das crianças do Parananema. “O projeto Pé-de-Pincha tem muita importância para a comunidade porque nós estamos educando as crianças sobre a conscientização e sensibilização para a preservação dos quelônios e outras espécies”, disse.

A gestora da Escola São Pedro, Rosário Beltrão, enfatiza que o sucesso do Pé-de-Pincha no Parananema é resultado de um trabalho conjunto entre professores, alunos e comunitários. “Hoje o projeto está sendo bem desenvolvido graça aos parceiros, o empenho de todo o corpo funcional da escola e a participação da comunidade na execução de todas as etapas”, ressaltou.

A última etapa do projeto este ano em Parintins ocorreu no sábado, 22, com apresentação de produções teatrais, danças. O evento culminou com a soltura de cerca de 800 filhotes de tracajás no lago do Parananema.

 

(Daniel Sicsú/JI)