Gov-03

Proteção de vacinas contra a Covid-19 diminui depois de 6 meses, afirma estudo

A pesquisa levou em consideração as vacinas Pfizer e a AstraZeneca; pesquisadores ressaltam necessidade de dose de reforço.

A proteção contra a Covid-19 oferecida por duas doses das vacinas da Pfizer/BioNTech e da Oxford/AstraZeneca começa a diminuir dentro de seis meses, afirma pesquisadores do Reino Unido. As informações foram divulgadas nesta quarta-feira (25) pela agência Reuters.

De acordo com o estudo ZOE COVID, após cinco a seis meses, a eficácia da Pfizer na prevenção da infecção por Covid-19 no mês após a segunda dose caiu de 88% para 74%. Já a vacina AstraZeneca, a eficácia caiu de 77% para 67% após quatro a cinco meses.

O estudo se baseou em dados de mais de um milhão de usuários de um aplicativo, comparando infecções autorrelatadas em participantes vacinados com casos em um grupo de controle não-vacinado.

No entanto, de acordo com a Reuters, mais dados de pessoas mais jovens são necessários, porque os participantes vacinados até seis meses atrás tendem a ser idosos, já que esta faixa etária foi priorizada quando as primeiras vacinas foram aprovadas.

Terceira dose

O governo dos Estados Unidos está se preparando para oferecer terceiras doses de reforço a partir de setembro para quem recebeu suas doses iniciais mais de oito meses atrás

No Brasil, o Ministério da Saúde nesta quarta-feira (25) que a partir de 15 de setembro será iniciada a aplicação de terceira dose para idosos acima de 70 anos e pessoas imunossuprimidas.

Na última segunda-feira (23), o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse em uma coletiva de imprensa que as doses de reforço das vacinas contra a Covid-19 devem ser adiadas, pois a prioridade deve ser dada aos países mais vulneráveis e que estão com a vacinação atrasada.

 

Fonte: RedeTV!

 

você pode gostar também