Campanha Caburi

Quarteto Braguista “morto” em Parintins, falta apenas enterrar…

Durou menos de 12 meses a união entre os vereadores Juliano Petro Velho PDT, Mateus Assayag PSDB, Rildo Maia PSD e Rai Cardoso o Cabeça PMDB, que se auto intitularam o “Quarteto Mágico Braguista”, mesmo que, os demais grupos políticos taxam eles de “Quadrilha Mágica”. O grupo vem aos frangalhos desde disputa interna peemedebista deflagrada no começo do ano e intensificada nos últimos dois meses. A princípio o nome de consenso para sair candidato seria do ex-vice-prefeito Messias Cursino, o qual abandonou o grupo do hoje senador Omar Aziz (PSD) e do atual governador José Melo (PROS) para levantar bandeira em prol a Eduardo Braga na eleição de 2014. Messias foi candidato a deputado federal com a promessa de apoio, mas depois foi esvaziada no grupo. Já o vereador Mateus Assayag, pelo excelente desempenho e ter como padrinho Amazonino Mendes, na época, era o certo para formar chapa a chapa em 2016.

Nos dois primeiros encontros do Ministro Eduardo Braga, após a derrota para José Melo, junto aos quatro vereadores, o cacique peemedebista sempre citou os nomes de Messias Cursino, Israel Paulain, David Xavier e Mateus Assayag como potenciais candidatos de uma renovação na política local a partir do ano que vem.  A empresária e ex-presidente do Caprichoso Márcia Baranda era carta fora do baralho. Após o pleito, porém, o grupo da família de Rai Cardoso introduziu Márcia Baranda no processo. Com a contribuição da família, ex-colaboradores da época de Caprichoso, estratégia de marketing e ajuda do Sistema Alvorada de Comunicação, que era dirigido pela tia de Márcia, a empresária ganhou mais visibilidade. Segundo um peemedebista, isso deixou incomodados os demais pleiteantes. Até um programa de Rádio na emissora a empresária conseguiu.

Rumos e rumos….

Rildo Maia que vai deixar o PSD e ingressar no PPS do Deputado Federal Hissa Abrahão não vê mais motivação e ganho futuro político e há dias mantém contatos com o prefeito Alexandre da Carbrás. Rildo foi eleito como parlamentar na coligação de Carbrás em 2012. O chefe do executivo o fez em seguida Presidente da Câmara.

Pessoas ligadas a Mateus Assayag relataram a coluna que o vereador que hoje está no PSDB, mas vai assumir o PR de Alfredo Nascimento, vai se manter firme no projeto de ser candidato a prefeito. Apenas poderia declinar da ideia caso o candidato for Messias Cursino. Mas agora ele vai mesmo é até o fim na articulação.

Eleito com apoio do ex-prefeito Bi Garcia (PSDB) e depois de passar alguns meses colaborando com o atual prefeito Alexandre da Carbrás, o vereador Juliano Petro Velho (PDT) voltou nos últimos 15 dias a dialogar com intermediários de Bi e Alexandre. Petro Velho vai aguardar os próximos meses para se filiar a um novo partido.

Nesta terça-feira o vereador Cabeça, escudeiro de Eduardo Braga, está em Manaus e viaja depois Brasília, sozinho de novo. Ele tenta trazer o “gás” necessário para ainda manter até o final do ano a unidade. Há duas semanas atrás Cabeça, também sozinho, foi a Brasília. Mas voltou sem resposta alguma. Mesmo que consiga, vai apenas adiar por algumas semanas o racha. Os parlamentares devem se colocar como “independentes” no plenário.

Mateus Assayag não será mais candidato a vereador; Rildo Maia tem problemas de saúde na família para superar e depois traçar as metas de 2016; Petro Velho corre em busca de um porto seguro que lhe garanta o 3º mandato e Cabeça é um único tranquilo, pois pode arrumar outro “milhão” com as empresas da família da irmã e políticos regionais para a logística de campanha. Coitado dos outros candidatos do PMDB. O Quarteto Braguista está morto em Parintins, falta apenas enterrar.

 

Koiotagens 991542015  

www.parintinsamazonas.com.br

você pode gostar também