Gov-03

SAÚDE MENTAL E PANDEMIA Atualizando…

A pandemia do COVID 19 não alterou de forma significativa a ocorrência de transtornos mentais, porém ela continua alta, afetando mais de 20% da nossa população.

É preciso que alguém seja acometido por algum transtorno mental para que se interesse em se informar sobre os serviços que o Caps Parintins oferece.

 

Imagino o quanto deve ser desesperador uma pessoa receber um diagnóstico de transtorno de ansiedade por exemplo, e não saber o que fazer, quem procurar, de quem pedir ajuda. Não devemos nos sentir infalíveis porque qualquer um de nós pode estar sofrendo de algum transtorno e não termos nos dado conta. Se isso acontecer com você, não fique desolado, pois no Caps II / Parintins reúne se toda quarta-feira um grupo terapêutico ministrado e liderado pelo psicólogo Evaldo Francatti, com a participação de outros profissionais convidados da área da saúde mental, como o médico psiquiatra Alessandro Gonzaga que  faz um resumo sobre o evento: “Os participantes são nossos usuários e “não usuários” que queiram participar, ou qualquer pessoa que conheça a dinâmica de um grupo terapêutico e queira interagir conosco.

O grupo é democrático e sem preconceito, recebe de braços abertos aqueles que sofreram ou sofrem de depressão, ansiedade, transtorno obsessivo compulsivo, transtorno de personalidade, transtorno bipolar, enfim, que estão passando por um momento difícil ou já passaram e estão ali para auxiliar aqueles que sofrem. O grupo tem as portas abertas para quem queira somar, compartilhar suas dores com outras pessoas, mostrar caminhos de superação, todos têm o direito de expor suas experiências e superações. O grupo visa a interação entre os seres afetados e devastados pela dor, buscando o alívio, dar um norte, mostrar um caminho possível de seguir.

Cada quarta-feira é abordado um tema diferente para todos interagirem. Estamos preparados para ouvir a dor de cada um, mostrar caminhos, acolher aqueles que sofrem a dor da alma.

Essa interação nos mostra que não sofremos sozinhos, que não estamos só com a dor , que podemos contar com outras pessoas.”

A pandemia do COVID 19 não alterou de forma significativa a ocorrência de transtornos mentais, porém ela continua alta, afetando mais de 20% da nossa população, os níveis de sintomas psiquiátricos como ansiedade e depressão, apesar de se manterem estáveis, permanece em patamares elevados , segundo estudo da USP (FMUSP) uma das possíveis razões para essa estabilidade, mesmo com os problemas surgidos com a pandemia, é que as pessoas amenizaram os efeitos do isolamento social por meio de conexões digitais e home office , conseguindo manter a saúde mental.

Diante de toda essa repercussão sobre o assunto saúde mental e pandemia, o médico psiquiatra Alessandro, trouxe nos oito dicas de como manter o equilíbrio diante de tanto tempo de pandemia.

1) Tentar manter uma rotina com objetivos, buscando deitar e levantar no mesmo horário.

2) Sair para espaços abertos com máscaras para praticar atividades físicas.

3) Tentar manter contato com pessoas mesmo à distância, estimule a gratidão e o envolvimento com a sociedade, verificando como pode ajudar uma família necessitada por exemplo.

4) Evite o uso de álcool em excesso e drogas psicoativas.

5) Reduza a exposição excessiva a notícias que causam ansiedade e sofrimento.

6) Introduza em sua rotina prática de relaxamento e meditação.

7) Se você tem diagnóstico de qualquer transtorno mental, mantenha a regularidade das consultas com o profissional com quem você se trata. Se você faz terapia, mantenha contato com seu terapeuta mesmo que seja por teleatendimento.

8) Aprenda algo novo, faça um curso on line, leia um livro.

Dr. Alessandro Gonzaga é médico psiquiatra do Caps Parintins.

 

Por Concy Rodriguez, colunista JI

Imagem: Internet

 

você pode gostar também