Estado

Saullo Vianna apresenta indicativo para ampliação do Mais Médicos no Amazonas

O Amazonas foi uma das regiões mais atingidas pela pandemia.

O deputado estadual Saullo Vianna apresentou indicativo ao para ser encaminhado ao presidente da República, Jair Bolsonaro,  e ao Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, solicitando o aumento da oferta de médicos do programa Mais Médicos no Amazonas. O estado de calamidade na saúde e o grande número de infectados e óbitos – por conta do agravamento da pandemia do covid-19 no Estado são as causas para sensibilizar o governo federal.

“Nosso Estado foi uma das regiões mais atingidas pela pandemia, e hoje sofre com os efeitos da segunda onda.  Por esse motivo, apresentei um indicativo ao Governo Federal, para que seja aumentada a oferta de médicos do programa Mais Médicos para o Amazonas. Que esses profissionais possam somar com nossos heróis de linha de frente aqui no nosso Estado e aumentar a capacidade de atendimento da demanda emergencial que estamos vivendo”, afirmou Saullo Vianna.

O Amazonas foi uma das regiões mais atingidas pela pandemia. Entre os meses de abril e maio, a cidade de Manaus passou por uma situação dramática, com hospitais e cemitérios absolutamente lotados. Agora passa por outra situação de disseminação das contaminações sem controle e precisa do aumento dos profissionais médicos para o completo atendimento de sua população de modo a que lhes seja ofertado e garantido o atendimento médico.

Ontem, o Amazonas atingiu 254.460 casos da doença no Estado, sendo 112.353 em Manaus (44,15%) e 142.107 no interior do Estado (55,85%). O número de óbitos pelo virus no Estado chega a 7.424 no total, sendo 5.043 óbitos em Manaus e 2.381 no interior. O uso da máscara, o respeito ao distanciamento entre as pessoas, a lavagem das mãos com água e sabão ou a utilização de álcool em gel, são recomendações consideradas fundamentais no controle da circulação do vírus da Covid-19, que continua presente no Estado.

 

Por Mahira Maia, assessoria parlamentar

Publicado por Carlos Frazão/JI

Imagem: Divulgação Internet

 

você pode gostar também