Saullo Vianna debate sobre projeto do Governo que quer usar recursos do FTI para reduzir caos na Saúde

Apesar de reconhecer que a Saúde enfrenta um dos seus piores momentos, Saullo defende que a matéria não tramite em regime de urgência.

 

Um dia após reunião com deputados, onde o governador Wilson Lima apresentou esboço do projeto que visa remanejar recursos do Fundo de Fomento ao Turismo, Infraestrutura, Serviços e Interiorização do Desenvolvimento do Amazonas (FTI) para minimizar problemas na Saúde, o assunto foi tema  de grande parte da sessão plenária da Assembleia Legislativa do Amazonas, nesta terça-feira (19).

A matéria chegou na Aleam na tarde desta terça (19), e seguindo o rito normal de tramitação, será enviada às Comissões Técnicas e aos parlamentares. Para ter acesso aos recursos, estimados em R$ 350 milhões, Wilson precisa ter voto da maioria dos 24 deputados.

Para o deputado Saullo Vianna (PPS), que participou da reunião realizada na sede do governo na tarde de ontem (18), o projeto não deve ser apreciado sem ampla discussão no Parlamento. Apesar de reconhecer que a Saúde enfrenta um dos seus piores momentos, Saullo defende que a matéria não tramite em regime de urgência.

“Eu defendo que a matéria tem que tramitar em regime normal, e não em regime de urgência. É um assunto que deve ser debatido exaustivamente no seio das Comissões e no plenário. A Assembleia não quer ser empecilho mas antes de votar, precisamos analisar detalhadamente a mensagem que Governo reenviou para Casa”, frisou.

Saullo lembrou que, a questão específica da utilização do FTI, nesse momento, é para ajudar a pagar dívidas passadas com cooperativas e prestadores de serviços, mas o recurso não existe ainda. “Essas dívidas foram negociadas com as cooperativas, prestadores de serviço, e o pagamento será feito de forma escalonada. Porém, esse recurso não existe ainda, não está no caixa do FTI. Esse recurso será arrecadado mês a mês.”

O deputado adiantou que vai participar da reunião com os prefeitos do interior na Aleam, previamente agendada para o próximo dia 25. De acordo com o presidente da Associação Amazonense dos Municípios (AAM), Andreson Cavalcante, a maioria dos prefeitos não está satisfeita com a matéria que vai tirar recursos do interior para tentar tirar a saúde do vermelho.

 

Assessoria do Deputado Saullo Vianna

Foto: Dircom/Aleam

você pode gostar também