Campanha Caburi

Visa é o novo patrocinador do Festival Folclórico de Parintins

No Brasil há 30 anos, a VISA é o meio de pagamento mais utilizado pelos brasileiros.

 

A Maná Produções e Eventos, o Boi Bumbá Caprichoso e o Boi Bumbá Garantido, têm o prazer de anunciar a VISA, maior bandeira de operações de crédito do mundo como patrocinadora do 54° Festival Folclórico de Parintins.

Para o presidente do Boi Bumbá Caprichoso, Babá Tupinambá, a entrada de uma marca mundialmente forte e conhecida como a VISA representa o fortalecimento do Festival de Parintins, a valorização de nossos artistas e da cidade de Parintins. “É com imensa satisfação que recebemos o patrocínio da VISA para Boi Caprichoso, é sinal que aumentamos o nível de confiança junto as grandes empresas, o nosso Festival que ganha mais visibilidade e credibilidade. Aliar-se a uma companhia de porte internacional só aumenta o nosso portfólio de parcerias”, ressalta.

Já o presidente do Boi Bumbá Garantido, Fábio Cardoso, entende que o Festival de Parintins eleva o nível de confiança junto às marcas que patrocinam o evento, uma vez que companhias como a VISA está presente na vida de muitos brasileiros. “É uma satisfação gigantesca e bastante significativo para nós do Boi Garantido sermos patrocinados pela VISA, uma companhia forte no mercado internacional, isso eleva nossa confiança e traz credibilidade ao nosso Festival”, destaca.

O diretor da Maná Produções e Eventos, André Guimarães, ressalta a importância da chegada da VISA ao Festival Folclórico de Parintins. “A Visa vem solidificar o conceito nacional e internacional do Festival Folclórico de Parintins como importante ferramenta de ativação de marcas e transferência de conceitos positivos as mesmas”.

No Brasil há 30 anos, a VISA se mantém na vice-liderança de mercado sendo o meio de pagamentos mais utilizado pelos brasileiros. Hoje a VISA passa a ser mais uma empresa a acreditar na força do folclore popular da festa de Parintins que tem em seu DNA a valorização da arte amazônica, a cultura local, o desenvolvimento socioeconômico da região e a preservação da floresta e sua biodiversidade.

 

Fonte: Maná Comunicação

Publicado por Carlos Frazão/JI

 

você pode gostar também