Campanha Caburi

VIVER É APRENDER

Diz um ditado popular, que a aprendizagem é algo inato.

Viver é aprender. Diz um ditado popular, que a aprendizagem é algo inato. Viver é aprender a envelhecer e você pode estar se perguntando, mas viver é envelhecer ou é aprender? Na verdade, podemos fazer uma brincadeira com estas palavras, dizendo “viver é envelhecer”, “viver é aprender”, “envelhecer é viver” e “aprender é viver”. Todas estas afirmações frisam a importância que as experiências têm para o ser humano. Viver bem leva a crescer e a envelhecer bem!

Crianças aprendem com a experiência. Se a criança convive com a censura, ela aprende a condenar.

Se a criança convive com a hostilidade, ela aprende a brigar.

Se a criança convive com o escárnio, ela aprende a ser tímida.

Se a criança convive com a vergonha, ela aprende a sentir-se culpada.

Se a criança convive com a tolerância, ela aprende a ser paciente.

Se a criança convive com o encorajamento, ela aprende a ser confiante.

Se a criança convive com o elogio, ela aprende a apreciar.

Se a criança convive com a integridade, ela aprende a justiça.

Se a criança convive com a segurança, ela aprende a ter fé.

Se a criança convive com a aprovação, ela aprende a gostar de si mesma.

Se a criança convive com a aceitação e a amizade, ela aprende a encontrar amor no mundo.

É muito comum, os pais se espantarem quando subitamente as crianças começam a se comportar como eles próprios. Muitas vezes, nem sequer percebem que eles é que estão dando o exemplo e se perguntam por que seus filhos estão agindo daquela maneira. A censura, a hostilidade e o escárnio são formas de coerção e de violência e como já sabemos, a violência gera a violência além, de fazer uma criança se sentir envergonhada e humilhada.

Você deve estar pensando, lá vem aquele papo de psicólogo que acha que a gente pode educar os filhos sem dar uma boa surra ou puxões de orelha quando eles merecem.

As crianças devem ser corrigidas e orientadas sobre como agir, mas essa correção não deve ser feita com o rigor da punição física. Regras devem ser colocadas e deve haver monitoramento no seu cumprimento. Só que, se os pais estabelecerem regras e eles mesmos não as obedecerem, os filhos, devido à possibilidade de serem punidos na frente dos pais, poderão segui-las somente quando estes estiverem presentes. Um filho que é coagido a se comportar de determinada forma pode ter um bom comportamento somente na presença dos pais. Além disso, as crianças imitam os mais velhos o tempo todo. A imitação é uma importante e poderosa forma de aprendizagem. Assim como, ocorre a aprendizagem de comportamentos relevantes e apropriados, também são aprendidos comportamentos inapropriados. Basta que um adulto ou até mesmo outra criança dê o exemplo.

Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço; é o ditado da hipocrisia, que certamente não funciona como regra para educar.

Modelo moral de convivência social é fundamental para uma boa educação. Valores como: honestidade, amizade, respeito ao próximo, respeito às leis, empatia, perdão, enfim, todos aqueles que formam um cidadão de bem, devem ser foco da educação. As crianças devem ter oportunidade para experiências destes valores.

 

Irmã Maria Helena Teixeira

Colunista JI/Imagem:Internet

você pode gostar também